A “NOITE AFRICANA” CHEGOU AO “PAÍS DAS PALMEIRAS”: A APROPRIAÇÃO DO NEGRO ESCRAVIZADO NO POEMA MARTIM CERERÊ

George Leonardo Seabra Coelho

Resumo


Nesse artigo, discutiremos como Cassiano Ricardo apropriou-se do passado histórico escravocrata brasileiro para compor seu poema Martim Cererê (1927). Para entendermos essa apropriação, realizaremos uma análise comparativa entre as versões desse poema a partir de um problema: o entendimento do papel do negro na formação da identidade nacional e na sociedade. Ao traçar esse caminho, defenderemos a necessidade de dar atenção à relação entre o autor e sua obra levando em conta as concepções de Roger Chartier (2002), assim como pensando o campo literário a partir das posições de Pierre Bourdieu (2012). Veremos que as diferentes representações do negro neste poema foram marcadas pela negatividade e pela distorção de suas características físicas e espirituais. Nesse sentido, este trabalho foi pautado pela perspectiva histórica do texto e na complexidade da obra, o que nos permite compreender as formas negativas de como o africano escravizado foi apropriado nesta obra literária.

Palavras-chave


literatura; história; representação.

Texto completo:

PDF

Referências


ABUD, Kátia Maria. O sangue intimorato e as nobilíssimas tradições (a construção de um símbolo paulista: o bandeirante). 1985. 342 f. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1985.

BOURDIEU, Pierre. A Economia as Trocas Linguísticas: O que Falar Quer Dizer. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008. 189 p.

BOURDIEU, Pierre. O sociólogo e o historiador. Belo Horizonte-MG: Autêntica Editora, 2012. 134 p.

BRITO, Mário da Silva. História do modernismo brasileiro. São Paulo: Edição Saraiva, 1971.

CHAUÍ, Marilena. O mito fundador e sociedade autoritária. Disponível em: Acesso em: 05/04/2015.

CHARTIER, Roger. A História Cultural entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

COELHO, G. L. S. O bandeirante que caminha no tempo: apropriações do poema “Martim Cererê” e o pensamento político de Cassiano Ricardo. 2015. 346 f. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.

COELHO, George Leonardo Seabra. Consumo cultural do pensamento vasconceliano na literatura modernista brasileira: intercâmbios intelectuais na constituição do discurso da raça latino-americana na década de 1920. Revista Eletrônica da ANPHLAC, (025), 183-221. https://doi.org/10.46752/anphlac.025.2018.2954

EL DINE, Lorena Ribeiro Zem. Raça, história e política em Alfredo Ellis Jr. E Cassiano Ricardo. p.151. Dissertação. Universidade Federal do Espírito Santo: Centro de Ciências Humanas e Naturais, 2010.

FERREIRA, Jerusa Pires. Notícias de Martim Cererê de Cassiano Ricardo. São Paulo: Quatro Artes Editora, 1970. 158 p.

LENHARO, Acir. Colonização e trabalho no Brasil: Amazônia, Nordeste e Centro-Oeste. Campinas-SP: Editora da Unicamp, 1981. 105 p.

MARTINS, Wilson. O modernismo. 4ª Ed. São Paulo: Editora Cultrix, 1973.

MONTEIRO, Amilton Maciel. Cassiano: fragmentos para uma biografia. São José dos Campos, SP: Univap, 2003. 424 p.

MOREIRA, Luiza Franco. Meninos, poetas e heróis: aspectos de Cassiano Ricardo do modernismo ao Estado Novo. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

MOTTA, Marly Silva da. A nação faz cem anos: a questão nacional no centenário da independência. Rio de Janeiro: Editora FGV: CPDOC, 1992.

OLIVEIRA, Vera Lúcia de. Poesia, mito e história no Modernismo brasileiro. São Paulo: Editora UNESP; Blumenau, SC: FURB, 2002. 342 p.

PERES, Deila Coneição (Coord.). Martim Cererê: o Brasil dos meninos, dos poetas e dos heróis. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1987. 409 p.

QUEIROZ, Helaine Nolasco. Verdeamarelo/Anta e Antropofagia: narrativas da identidade. p.248. Dissertação. Universidade Federal de Minas Gerais: Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, 2010.

RICARDO, Cassiano. Martim Cererê. São Paulo: Editora José Olympio, 1936.

RICARDO, Cassiano. Martim Cererê. São Paulo: Editorial Hélios LTDA, 1929.

RICARDO, Cassiano. Martim Cererê. São Paulo: Editorial Hélios LTDA, 1927.

RICARDO, Cassiano. Martim Cererê. São Paulo: Editorial Hélios LTDA, 1928.

RICARDO, Cassiano. Martim Cererê. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1932.

RICARDO, Cassiano. O Curupira e o Carão. São Paulo: Editora Hélio, 1927a.

SANDES, Noé Freire. A invenção da nação: entre a monarquia e a república.

Goiânia: Editora UFG, 2011.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil – 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

p.

VELHO, Otávio Guilherme. Capitalismo Autoritário e Campesinato. São Paulo: DIEHL, 1976. 261 p.

VELLOSO, Mônica Pimenta. Mito da originalidade brasileira: a trajetória intelectual de Cassiano Ricardo (dos anos 20 ao Estado Novo). 1983. 191 f. Mestrado (Filosofia). Departamento de Filosofia, Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, 1983.

VELLOSO, Mônica. História e Modernismo. Belo Horizonte - MG: Editora Autêntica, 2010.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.111812