Entre versos e estrofes: a imprensa anarquista na Amazônia na década de 10 do século XX

Luciano Everton Costa Teles

Resumo


Os militantes anarquistas e sua imprensa tiveram um papel importante na organização dos trabalhadores amazonenses na década de 10 do século XX. No seu impresso usaram diversas estratégias para a formação de leitores, especialmente os trabalhadores. Dentre as estratégias utilizaram os poemas. O presente artigo busca explorar os poemas que se materializaram nas páginas da imprensa anarquista, notadamente no jornal A Lucta Social (1914), demonstrando a sua função pedagógica. Para isso, procuramos situar o anarquismo no interior da historiografia amazonense, sua chegada à Amazônia e, por fim, os versos e as estrofes presentes no periódico libertário.


Palavras-chave


Anarquismo; Imprensa; Amazônia.

Texto completo:

PDF

Referências


AVELINO, Alexandre Nogueira. O patronato amazonense e o mundo do trabalho: a Revista da Associação Comercial e as representações acerca do trabalho no Amazonas (1908-1919). Dissertação (mestrado em História), PPGH/UFAM, Manaus, 2008.

BARROS, Cláudia Amélia Mota Moreira. Vozes Operárias: os tipógrafos e a construção da identidade operária amazonense (1891-1914). Dissertação (mestrado em História), PPGH/UFAM, Manaus, 2015.

BATALHA, Cláudio H. M. Os desafios atuais da História do Trabalho. Anos 90. Porto Alegre, vol. 13, n. 23-24, p. 87-104, jan./dez. 2006.

__________________. Identidade da classe operária no Brasil (1880-1920): atipicidade ou legitimidade. Revista Brasileira de História. São Paulo, vol. 12, n. 23-24, p. 111-124, set./ago., 1992.

__________________. O movimento operário na Primeira República. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

BENEVIDES, Bruno Corrêa de Sá e. “Não mais governos, nem reis!”: a literatura rebelde e libertária de Ângelo Bandoni. Revista Estudos Libertários, vol. 1, p. 1-25, 1º semestre de 2019.

BILHÃO, Isabel. “Informar” para “formar” – reflexões sobre imprensa e militância no mundo do trabalho brasileiro na Primeira República. Cadernos de História. Belo Horizonte, vol. 16, n. 24, p. 138-156, 1º semestre de 2015.

CAMPOS, Luciane Maria Dantas de. Trabalho e emancipação: um olhar sobre as mulheres de Manaus (1890-1930). Dissertação (mestrado em História), PPGH/UFAM, Manaus, 2010.

COSTA, Francisca Deusa Sena da. Quando viver ameaça a ordem urbana: cotidiano de trabalhadores em Manaus, 1915-1925. Dissertação (mestrado em História), PPGH/PUC-SP, São Paulo, 2000.

CRUZ, Heloisa de Faria, PEIXOTO, Maria do Rosário da Cunha. Na oficina do historiador: Conversas sobre História e Imprensa. Projeto História, São Paulo, n. 35, p. 253-270, dezembro de 2007.

DIAS, Ednéa Mascarenhas. A ilusão do fausto: Manaus, 1890-1920. Manaus: Editora Valer, 1999.

DUARTE, Regina Horta. A imagem rebelde: a trajetória libertária de Avelino Fóscolo. Dissertação (mestrado em História), PPGH/UNICAMP, Campinas, 1988.

GONÇALVES, Adelaide (Org). Ceará Socialista – Anno 1919. Florianópolis: Insular, 2001.

HARDMAN, Francisco Foot. Nem Pátria, Nem Patrão! Vida operária e cultura anarquista no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1983.

LEAL, Claudia. Anarquismo em verso e prosa: literatura e propaganda na imprensa libertária em São Paulo (1900-1916). Dissertação (mestrado em História), PPGH/UNICAMP, Campinas, 2000.

LITAIFF, Benta. A crise da economia gomífera e o mundo do trabalho em Manaus (1910-1930). Dissertação (mestrado em História), PPGH/UFAM, Manaus, 2010.

OLIVEIRA, Erivonaldo Nunes de Oliveira. A imigração nordestina na Imprensa Manauara (1877-1917). Dissertação (mestrado em História), PPGH/UFAM, Manaus, 2010.

OLIVEIRA, Tiago Bernardon de. Anarquismo, sindicatos e revolução no Brasil (1906-1936). Tese (doutorado em História), PPGH/UFF, Niterói/RJ, 2009.

PESSOA, Alba Barbosa. Infância e trabalho: dimensões do trabalho infantil na cidade de Manaus. Dissertação (mestrado em História), PPGH/UFAM, Manaus, 2010.

PETERSEN, Sílvia Regina Ferraz. Cruzando fronteiras: as pesquisas regionais e a história operária brasileira. Anos 90. Porto Alegre, n. 3, p. 129-153, jun./1995.

_________________. Repensar a história do trabalho. Espaço Plural, n. 34, p.13-36, jan./jun. 2016.

_________________. Ainda o movimento operário como objeto historiográfico. Anos 90, n. 8, p. 62-78, dezembro de 1997.

PINHEIRO, Luís Balkar Sá Peixoto Pinheiro e PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte (Orgs). Imprensa Operária no Amazonas. Vol. 1. Transcrições e fac-símiles. Manaus: EDUA, 2004.

_________________. Mundos do trabalho na cidade da borracha: trabalhadores, lideranças, associações e greves operárias em Manaus (1880-1930). Jundiaí: Paco Editorial, 2017.

PINHEIRO, Luís Balkar Sá Peixoto. Imprensa e mundos do trabalho na Belle Époque manauara. XXII Simpósio Nacional de História – ANPUH. João Pessoa, 2003, p. 1-8.

_________________. Lideranças estrangeiras entre os trabalhadores manauaras (1910-1930). Revista Mundos do Trabalho, vol. 9, n. 17, p. 79-100, jan./jul. de 2017.

PINHEIRO, Maria Luiza Ugarte. A cidade sobre os ombros: trabalho e conflito no porto de Manaus (1899-1925). Manaus: Edua, 1999.

_________________. Folhas do Norte: letramento e periodismo no Amazonas (1880-1920). Tese (doutorado em História), PPGH/PUC-AP, São Paulo, 2001.

POLETTO, Caroline. Tão perto ou tan lejos. Caricaturas e contos na imprensa libertária e anticlerical de Porto Alegre e de Buenos Aires (1897-1916). Dissertação (mestrado em História), PPGH/UNISINOS, São Leopoldo, 2011.

QUEIRÓS, César Augusto Bubolz. Estratégias e identidades: relações entre governo estadual, patrões e trabalhadores nas grandes greves da Primeira República em Porto Alegre (1917-1919). Tese (doutorado em História), UFRGS/PPGH, Porto Alegre, 2012.

SOUZA, Leno José Barata. Vivência popular na imprensa amazonense do inicio do século XX. Dissertação (mestrado em História), PPGH/PUC-SP, São Paulo, 2005.

TELES, Luciano Everton Costa. Construindo redes sociais, projetos de identidade e espaços políticos: a imprensa operária no Amazonas (1890-1928). Tese (doutorado em História). PPGHIST/UFRGS, Porto Alegre, 2018.

_________________. O jornal Vida Operária e a instrução educacional como instrumento de inserção política. Anos 90. Porto Alegre, vol. 21, n. 39, p. 311-336, jul./2014.

_________________. Tércio Miranda: uma liderança anarquista na Amazônia (1913-1914). Revista Mundos do Trabalho, vol. 9, n. 17, p. 101-119, jan./jul. de 2017.

_________________. A Lucta Social e a existência de uma rede anarquista regional: Tércio Miranda/AM e Antônio Carvalho/PA (1914). Revista Piauiense de História Social e do Trabalho, ano 2, n. 2, p. 6-15, jan./jul. 2016.

TOLEDO, Edilene Teresinha. O Sindicalismo Revolucionário em São Paulo e na Itália: circulação de ideias e experiências na militância sindical transnacional entre 1890 e o Fascismo. Tese (doutorado em História), IFCH/UNICAMP, São Paulo, 2002.




DOI: https://doi.org/10.22456/1983-201X.100577