Mulheres de papel: Espaço feminino e abolicionismo no romance A Cabana do Pai Tomás

Marcelle Danielle de Carvalho Braga

Resumo


O livro A Cabana do Pai Tomás, de Harriet Beecher Stowe, teve grande repercussão nos EUA desde 1851. Esse romance ficou conhecido por seu caráter abolicionista, porém destacamos aqui que este também pensou o lugar das mulheres na sociedade, na família e no Estado.  As representações das mulheres ofereciam um espaço de agência alargado, ressaltando a capacidade destas em desenvolver papéis que lhes eram, no momento, negados. Stowe criticou a restrição das mulheres à esfera doméstica, defendendo que elas eram dotadas de qualidades específicas que as tornariam mais habilidosas para solucionar questões de escalas maiores. Não negamos que a escravidão foi o tema chave do texto, mas defendemos que foi utilizada também para evidenciar a potencialidade das ações femininas. E o título deste artigo, “Mulheres de papel”, seria exatamente porque nós pensaremos quais os tipos de mulheres que Stowe construiu no romance ao abarcar estes temas.


Palavras-chave


Estados Unidos, literatura, escravidão

Texto completo:

PDF


Universidade Federal do Rio Grande do Sul - ISSN 1984-5634