ESG e campo cultural no Brasil – Apontamentos para o estudo da relação entre os Militares e o Estado Brasileiro (1930-1964)

Luiz Felipe Cezar Mundim

Resumo


A ESG no momento de sua criação, no final da década de 1940, deu início à atividade de produção ideológica inserida em um campo cultural específico, permeado de tensões e de disputas simbólicas. Os projetos teóricos dos autores nesse campo cultural representavam modelos teóricos de explicação do mundo e de história do Brasil enquanto projetos de nação. O artigo aponta para o fato de que a atuação de determinada facção das Forças Armadas Brasileiras entre 1930 e 1964 destaca mais a relação dos militares com o Estado e com o que entendiam como nação do que a sua própria jornada corporativa.

Abstract: The ESG at the time of its creation in the late 1940s initiated the activity of ideological production inserted into a specific field of cultural production, riddled with tensions and symbolics disputes. The theoretical projects of the authors represented in this field of cultural production represented theoretical models of world’s explanation and of the Brazil’s history as nation projects. The article points to the fact that the performance of a particular faction of the Brazilian’s Army between 1930 and 1964 highlights further the relationship of the military with the state and with what they understood as a nation than its own corporate journey.


Palavras-chave


ESG. Campo Cultural. Estado.

Texto completo:

PDF