A agenda educacional dos reformadores empresariais paulistas e seus efeitos no trabalho docente

Andressa de Souza Rodrigues Mesko, Arnaldo Valentim Silva, Evaldo Piolli

Resumen


Este artigo apresenta resultados parciais de duas pesquisas de mestrado e doutorado em andamento e também da pesquisa “as condições de trabalho e a saúde dos supervisores de ensino do Estado de São Paulo” realizada juntamente com Sindicato dos Supervisores de Ensino do Magistério Oficial do Estado de São Paulo (APASE), todas desenvolvidas junto ao Grupo de Estudo Trabalho, Saúde e Subjetividade (NETSS) dentro do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da Unicamp. São pesquisas que estão analisando as políticas públicas educacionais no Estado de São Paulo com a participação do setor empresarial e seus desdobramentos nos programas implantados pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, em destaque, “Educação - Compromisso de São Paulo”. O objetivo é demonstrar como a lógica gerencial de caráter empresarial, combinada com a reforma do Estado sob a égide da Nova Gestão Pública, manifesta-se nos diversos programas e a reconfiguração no trabalho docente produzidas por eles. Identificamos que a autonomia controlada, a hiperburocratização, a produtividade e a meritocracia constituem-se como marca característica dos programas e que estão produzindo a maior intensificação do trabalho e a desregulamentação da carreira docente.


Palabras clave


Política Educacional; Setor Empresarial; Trabalho Docente.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


Copyright (c) 2016 Políticas Educativas

ISSN Electrónico: 1982-3207

Qualis/Capes: Educação B2

 

Periodicidad – Semestral

 

La recepción de artículos se caracteriza por su flujo continuo sin que sea posible preveer la fecha de su publicación.


This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY-NC 4.0).