História termotectônica da margem continental brasileira a partir de dados de traços de fissão em apatita

Christie H. ENGELMANN DE OLIVEIRA, Andréa R. JELINEK

Resumo


A margem continental brasileira denota estruturas geomorfológicas moldadas durante vários episódios de atividade tectônica iniciados no Neoproterozoico. Com o objetivo de estabelecer um modelo de história termotectônica para a margem continental brasileira, foi realizada a integração e reinterpretação dos dados traços de fissão em apatita (TFA) disponíveis ao longo de toda a margem continental. As idades TFA variam de ~385-10 Ma. Os dados TFA revelam que a margem continental foi caracterizada por pelo menos três eventos térmicos após o Ciclo Brasiliano: Cretaceo Inferior, Cretaceo Superior e Paleógeno-Neógeno. Os eventos são relacionados aos processos de abertura do Oceano Atlântico Sul e às fases rifte e pós-rifte, com reativações tectônicas ao longo da margem. A Província Mantiqueira e o Cráton São Francisco registram os eventos mais antigos, desde o Ordoviciano e o Permiano, respectivamente, que afetaram de modo variado diferentes partes dessas províncias como reflexo das orogenias Famatiniana e Gondwanide.

Palavras-chave


Traços de fissão, rifte, resfriamento, soerguimento.

Texto completo:

PDF Banco de dados TFA


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.83263

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br