DEFINIÇÃO DA IDADE DEPOSICIONAL DA FORMAÇÃO AÇU (BACIA POTIGUAR, NORDESTE DO BRASIL) 40 39 ATRAVÉS DA DATAÇÃO

Anderson J. MARASCHIN, Ana Maria MIZUSAKI, Paulo M. VASCONCELOS, Ruth HINRICHS, Luiz F. DE ROS, Sylvia M.C. dos ANJOS

Resumo


Crescimentos autigênicos precoces de K-feldspato são abundantes nos arenitos fluviais cretácicos da Formação Açu (Bacia Potiguar), um dos mais importantes reservatórios onshore de hidrocarbonetos do Brasil. Estes crescimentos foram formados diretamente ao redor de K-feldspatos detríticos, em condições superficiais (eodiagênese inicial). A continuidade física entre crescimentos e grãos detríticos impossibilitou sua separação visando a aplicação do método convencional 40K- 40Ar. Assim, optou-se em aplicar o método 40 39 Ar- Ar diretamente nos crescimentos autigênicos de K-feldspato. Como resultado, foi obtida uma idade mínima de 120 Ma, muito próxima à idade bioestratigráfica previamente estabelecida para os arenitos da Formação Açu, o que demonstra a viabilidade da aplicação do método 40Ar- 39Ar na determinação de idades deposicionais de arenitos-reservatório. Entretanto, para fins de aprimoramento do método e melhor precisão nas idades, é sugerido o uso de equipamentos que utilizam sonda a laser ultravioleta (UV), o que reduz a possibilidade de contaminação por diferentes fases minerais.


Palavras-chave


Ar- Ar dating; K-feldspar overgrowths; reservoir-sandstones; Potiguar Basin.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.22456/1807-9806.22649

Apontamentos

  • Não há apontamentos.







Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500 - Prédio 43113
91.540-000, Porto Alegre, RS, Brasil
E-mail: pesqgeoc@ufrgs.br