O lugar de Augusto dos Anjos na poesia brasileira

Nara Marley Aléssio Rubert

Resumo


Trata-se de uma análise sobre a controversa classificação do poeta Augusto dos Anjos, que oscila entre o Simbolismo, Parnasianismo, Romantismo, Cientificismo, Modernismo e até mesmo Surrealismo, a partir de aspectos de sua poesia que apontam para as diversas tentativas de enquadramento de sua obra. Acrescenta-se ainda que sua carreira como professor e escritor, bem como a publicação de sua única obra, “Eu”, se deu no período chamado Pré-Modernismo, no início do século passado. A partir disso, avaliam-se alguns traços da sua época, da estética literária de seu tempo e da maneira como isso se mostra ou não em seus poemas. Há aspectos insistentes na obra de Augusto dos Anjos que indicam uma direção para sua leitura: a obsessão pela decomposição, o “irrealizado”, a combinação de expressões eruditas com expressões ditas de mau-gosto e, muito especialmente, a morte.

Palavras chave: Poesia; Pré-Modernismo; morte.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.5088

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul