POÉTICAS ORAIS NA ILHA DE COLARES-PA: PROPOSTA PARA UMA CARTOGRAFIA DA VOZ E DA CULTURA

Danieli dos Santos Pimentel, Josebel Akel Fares, Comissão Editorial Nau Literária

Resumo


Este artigo nasce do trabalho de pesquisa com as poéticas orais na ilha de Colares, desenvolvida no ano de 2011 junto ao Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação da Universidade do Estado do Pará (UEPA), na linha de pesquisa: Poéticas orais e experiências em educação. Desse modo, a partir da coleta de dados, surgiu a tentativa de compor o mapa cartográfico das narrativas orais do imaginário local. Neste cenário, surgem os personagens míticos da região: Cobra Maria Vivó, Boto Malhado/Pintado e a Arraia Pintada, esses personagens formam um mosaico de teias narrativas que respondem pelo caráter mitopóetico da região. Todavia, outros seres míticos também protagonizam a história cultural do município, trata-se dos mitos em seres do espaço, mais conhecidos, em Colares, como o chupa-chupa. Esse evento, ligado aos fenômenos ufológicos se misturaram às cores locais imprimindo, mais tarde, a fusão entre os mitos fundadores e a crença em seres extraterrenos, surgiu assim, a cultura do ET até hoje celebrada, na ilha, como um acontecimento histórico e cultural integrante da vida dos moradores de Colares.

Palavras-chave


Poéticas orais; Cartografia; Ufologia; Cultura.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.43353

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul