Resgate da memória e representações da história em Narradores da sobrevivência, de Nelson Saúte

Inara de Oliveira Rodrigues, Silvia Niederauer

Resumo


A partir da análise de Narradores da sobrevivência (2000), romance de estreia do escritor e poeta moçambicano Nelson Saúte, discute-se as estratégias narrativas acionadas por um autor/narrador que, testemunha de um momento crítico da história de Moçambique, os anos violentos da guerra civil que se seguiu ao processo de independência do país, coloca em evidência a necessidade do resgate da memória e da reflexão sobre a história recente de seu povo. Nesse processo de escrita, sobressai a dimensão ética da elaboração estética, reinscrevendo a possibilidade de se escrever/contar a dor e o absurdo da banalidade da morte como espaço emancipatório.

Palavras-chave


História e ficção; tipologias do narrador; dimensão autoral; literatura moçambicana contemporânea

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.21215

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul