Oswald de Andrade e a antropofagia na crítica formativa de Antonio Candido

Rejane Pivetta de Oliveira

Resumo


Neste artigo, analisamos os ensaios de Antonio Candido sobre obra de Oswald de Andrade, especialmente “Estouro e libertação”, de 1944, e “Digressão sentimental sobre Oswald de Andrade”, de 1970, buscando elucidar os pressupostos da crítica formativa e os contrastes que estabelece com o discurso da antropofagia.

Palavras-chave


Antonio Candido; Oswald de Andrade; Antropofagia; Formação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1981-4526.102607

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul