Determinação de danos basais no DNA de araras canindé (Ara ararauna) através do Teste de Micronúcleos: uma ferramenta na avaliação da saúde animal e seu uso no biomonitoramento da poluição ambiental

Valéria Rodrigues Pinhatti, Mariangela da Costa Allgayer, Adriana Schneider Breyer, Rosecler Alves Pereira, Juliana da Silva

Abstract


O Brasil se destaca pela sua grande biodiversidade em especial no que se refere à avifauna. Entre as espécies aviárias encontradas podemos citar a

Ara ararauna, psitacídeo de ampla distribuição geográfica dentro do território nacional. Diversas patologias podem acometer estas espécies aviárias; porém os estudos com as aves brasileiras são bastante reduzidos. A exposição a diferentes agentes ambientais, como dejetos industriais, domésticos e agrícolas podem ser responsáveis pela causa de algumas patologias. Estes poluentes de origem antropogênica põem em risco a sobrevivência, a reprodução ou ainda o patrimônio genético dos organismos expostos através da indução de mutações. Devido à necessidade crescente de determinação de espécies que possam ser usadas como biomonitoras da genotoxicidade ambiental, além da preservação da biodiversidade, se teve por objetivo determinar os níveis basais de micronúcleos em Ara ararauna. Conforme o teste de micronúcleos realizado em 27 araras, verificou-se que a média de micronúcleos por ave é relativamente baixa (0,38/2000 células). Exemplares portadores de alterações patalógicas apresentaram valores médios de 4,5 micronúcleos/2000 células. Além de se ter determinado seu padrão basal para futuras avaliações em saúde animal, observou-se também, que a utilização do teste de micronúcleos em Ara ararauna permite utilizá-las em atividades de biomonitoramento da poluição ambiental.

 

Ara ararauna, psitacídeo de ampla distribuição geográfica dentro do território nacional. Diversas patologias podem acometer estas espécies aviárias; porém os estudos com as aves brasileiras são bastante reduzidos. A exposição a diferentes agentes ambientais, como dejetos industriais, domésticos e agrícolas podem ser responsáveis pela causa de algumas patologias. Estes poluentes de origem antropogênica põem em risco a sobrevivência, a reprodução ou ainda o patrimônio genético dos organismos expostos através da indução de mutações. Devido à necessidade crescente de determinação de espécies que possam ser usadas como biomonitoras da genotoxicidade ambiental, além da preservação da biodiversidade, se teve por objetivo determinar os níveis basais de micronúcleos em Ara ararauna. Conforme o teste de micronúcleos realizado em 27 araras, verificou-se que a média de micronúcleos por ave é relativamente baixa (0,38/2000 células). Exemplares portadores de alterações patalógicas apresentaram valores médios de 4,5 micronúcleos/2000 células. Além de se ter determinado seu padrão basal para futuras avaliações em saúde animal, observou-se também, que a utilização do teste de micronúcleos em Ara ararauna permite utilizá-las em atividades de biomonitoramento da poluição ambiental.

Ara ararauna, psitacídeo de ampla distribuição geográfica dentro do território nacional. Diversas patologias podem acometer estas espécies aviárias; porém os estudos com as aves brasileiras são bastante reduzidos. A exposição a diferentes agentes ambientais, como dejetos industriais, domésticos e agrícolas podem ser responsáveis pela causa de algumas patologias. Estes poluentes de origem antropogênica põem em risco a sobrevivência, a reprodução ou ainda o patrimônio genético dos organismos expostos através da indução de mutações. Devido à necessidade crescente de determinação de espécies que possam ser usadas como biomonitoras da genotoxicidade ambiental, além da preservação da biodiversidade, se teve por objetivo determinar os níveis basais de micronúcleos em Ara ararauna. Conforme o teste de micronúcleos realizado em 27 araras, verificou-se que a média de micronúcleos por ave é relativamente baixa (0,38/2000 células). Exemplares portadores de alterações patalógicas apresentaram valores médios de 4,5 micronúcleos/2000 células. Além de se ter determinado seu padrão basal para futuras avaliações em saúde animal, observou-se também, que a utilização do teste de micronúcleos em Ara ararauna permite utilizá-las em atividades de biomonitoramento da poluição ambiental.

 

 


Keywords


Ara ararauna; Teste de Micronúcleos; Biomonitoramento ambiental; Saíde animal



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.15552

Copyright (c) 2018 Valéria Rodrigues Pinhatti, Mariangela da Costa Allgayer, Adriana Schneider Breyer, Rosecler Alves Pereira, Juliana da Silva

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.