Salomon Maimon e a falência da filosofia judaica moderna

Ytzhak Y. Melamed

Resumo


Argumento neste artigo que Salomon Maimon é o único filósofo judeu moderno digno deste nome. Diferentemente de outros, eu não considero que um filósofo judeu seja alguém que é (a) judeu e (b) um filósofo, mas assumo que por filósofo judeu entende-se a tentativa de oferecer um relato bem argumentado e informado das crenças e práticas judaicas religiosas e culturais. A exigência de um relato documentado tem um papel central neste artigo. Argumento que, da mesma maneira que um filósofo de matemática precisa ter um bom conhecimento de matemática, um estudioso de filosofia judaica necessita ter um bom conhecimento do mundo literário judaico. Pelo que sei, este não foi o caso da maioria dos filósofos judaicos modernos. Argumento também que a maioria dos autores modernos que escreveram sobre o Wesen des Judentums ignorava assuntos judaicos. Além disso, indico duas características da filosofia judaica moderna que provocaram esse fracasso: (1) sua internalização da visão antissemita da cultura judaica como um particularismo oposto ao universalismo cristão; e (2) seu biblicalismo, i.e., sua tentativa de construir uma versão protestante do judaísmo que imita o luteranismo alemão, para assim justificar a inclusão do judeu na alta sociedade alemã.

 

Salomon Maimon and the failure of modern Jewish Philosophy - Abstract: In this paper I argue that Salomon Maimon is the only modern Jewish philosopher worthy of the name. Unlike many others, I do not take a Jewish philosopher to be someone who is (a) Jewish, and (b) a philosopher, but rather suggest that by Jewish philosophy we understand the attempt to provide a well-argued and informed account of Jewish religious and cultural beliefs and practices. The demand for an informed account will play a central role in this paper. Arguably, in the same way that a philosopher of mathematics needs to have a good grasp of mathematics, so does a scholar of Jewish philosophy need to have a good grasp of the Jewish literary world. To the best of my knowledge, this has not been the case with the majority of modern Jewish philosophers. Also arguably, the majority of modern authors who have written about the Wesen des Judentums have been ignoramuses in respect of matters Jewish. I further indicate two characteristics of modern Jewish philosophy which have been crucial in bringing about its failure: (1) its internalization of the anti-Semitic view of Jewish culture as a particularism that is opposed to Christian universalism, and (2) its biblicalism, i.e., its attempt to construct a Protestant version of Judaism that imitates German Lutheranism, and hence justify the inclusion of the Jew within German high society.


Texto completo:

PDF