Uma viagem aos judeus

Luis S. Krausz

Resumo


Este artigo trata de uma viagem à Polônia que o escritor judeu alemão Alfred Döblin empreendeu em 1924, como reação aos primeiros ataques antissemitas perpetrados em Berlim pelos precursores do nazismo no ano anterior. Döblin, que nasceu em uma família judaica assimilada à cultura alemã moderna e não tinha qualquer tipo de vínculo com a tradição, era um homem avesso ao turismo, visto por ele como uma ocupação ociosa, de pessoas incapazes de encontrar a felicidade na própria existência. Seu objetivo ao viajar à Polônia era o de conhecer os judeus, de vez que ele não considerava que aqueles alemães que ele conhecia, e que se autodenominavam judeus, o fossem verdadeiramente. Esta viagem traz à tona o confronto mais amplo entre modernidade e judaísmo, que marca toda a história do judaísmo europeu do século XX, tornando-se, assim, emblemática de um conflito de culturas e, sobretudo, de conceitos divergentes de nacionalidade judaica.

 

A trip to the Jewish people - Abstract: This is an account of a trip to Poland undertaken by the Jewish-German author Alfred Döblin in 1924 as a reaction to the first anti-Semite attacks in Berlin by the precursors of Nazism the year before. Döblin, who was born in a family assimilated to the modern German culture and had no links to the Jewish tradition, was a man who despised tourism, thought by him as being an idle occupation for people unable to find happiness in their own existences. His aim in travelling to Poland was to get acquainted with the Jewish people, since he did not consider the Germans he knew, and who called themselves Jews, as being Jewish. This trip reveals, in a larger frame, the conflict between modernity and Judaism which seals the history of European Judaism in the 20th century, thus becoming a landmark of the conflict of cultures and, above all, of diverging concepts of Jewish nationality.


Texto completo:

PDF