A AUTORIA DE TRADUTORES INTÉRPRETES DE LIBRAS PORTUGUÊS EM ESPETÁCULOS TEATRAIS

Carolina Fernandes Rodrigues Fomin

Resumo


Devido ao crescimento de ações voltadas à acessibilidade, e de seu caráter educativo e formativo, diversas instituições culturais têm acessibilizado suas programações e tornado seus espaços cada vez mais acessíveis à comunidade surda, usuária da língua de sinais. Assim, podemos perceber, cada vez mais profissionais Tradutores Intérpretes de Libras-Português (TILSP) atuando na interpretação em Libras em espetáculos teatrais. Nessa esfera, o texto a ser interpretado é composto de muitos textos, sejam eles verbais, sonoros ou visuais, que compõem um todo que influencia a compreensão de seus interlocutores e ampliam sentidos. Neste artigo, com base nas formulações teóricas do Círculo de Bakhtin, numa perspectiva dialógica, na qual os enunciados estão atravessados de vozes sociais, problematizamos a noção de autoria e discutimos o autor-pessoa (empírico) e o autor-criador. Discutimos também a autoria dos TILSP que atuam em espetáculos considerando o autor-criador como um elemento imanente ao todo artístico, que dá forma ao objeto estético e é um pivô que sustenta a unidade do todo.  


Palavras-chave


interpretação em Libras; esfera teatral; dialogismo; autoria.

Texto completo:

PDF


ISSN eletrônico: 2236-4013


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribuition 3.0.


Indexadores: 


 

 

cariniana 2

 

TRANSLATIO
Instituto de Letras
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500, CEP 91540-000
Porto Alegre - RS
Email: translatio.ufrgs@gmail.com