(RE-)CONSTRUINDO MEMÓRIA AFETIVO-CULTURAL ATRAVÉS DA TRADUÇÃO DE POESIA NEGRA DE E PARA A LÍNGUA ALEMÃ

Jessica Oliveira de Jesus

Resumo


Discuto nas próximas páginas abordagens práticas e teóricas que estão sendo desenvolvidas em minha pesquisa de mestrado e envolvem portanto, o processo de tradução da poeta afro-alemã May Ayim (1960-1996) desde o locus tradutório de uma afrodescendente germanista no Brasil. Busco articular em um primeiro momento, tanto sua obra poética, quanto a respectiva tradução de seus poemas para o português brasileiro, com ideias discutidas por Venuti (2005) sobre tradução e identidades nacionais. Em um segundo momento, discorro sobre processos tradutórios multíplices entre poemas de May Ayim (para o português) e de tatiana nascimento (para o alemão). Por fim, reflito tais processos que perpassam a subjetividade da tradutora junto às propostas de Spivak (1992), buscando assim apontar para um arcabouço teórico e metodológico de tradução de textos de mulheres negras em diáspora.

Palavras-chave


Diáspora Negra, Tradução, Poesia, May Ayim, tatiana nascimento.

Texto completo:

PDF


ISSN eletrônico: 2236-4013


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribuition 3.0.


Indexadores: 


 

 

cariniana 2

 

TRANSLATIO
Instituto de Letras
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500, CEP 91540-000
Porto Alegre - RS
Email: translatio.ufrgs@gmail.com