DA NEGRITUDE CESARIANA À ANTILHANIDADE GLISSANTIANA: O CAMINHO PARA CRIOULIDADE E A TRADUÇÃO COMO PRÁTICA MESTIÇA

Dyhorrani da Silva Beira

Resumo


Este artigo busca traçar um paralelo entre a os conceitos de Negritude desenvolvido por Césaire e o de Antilhanidade de Édouard Glissant como um caminho para o desenvolvimento da Crioulidade de Bernabé, Chamoiseau e Confiant como um movimento engajador na busca da identidade antilhana descrita no livro Éloge de la créolité (1993). Dessa forma apresentamos os motivos pelos quais a Negritude não só abriu o caminho para outros movimentos, mas deu lugar, voz e senso crítico para esses movimentos no seio social e literário. Por fim, apresentamos a tradução como prática mestiça.


Palavras-chave


Negritude, antilhanidade, crioulidade, literatura, identidade.

Texto completo:

PDF


ISSN eletrônico: 2236-4013


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribuition 3.0.


Indexadores: 


 

 

cariniana 2

 

TRANSLATIO
Instituto de Letras
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500, CEP 91540-000
Porto Alegre - RS
Email: translatio.ufrgs@gmail.com