As transcriações beckettianas em Not I (1972)

Mauro Menine

Resumo


A diversidade da escrita de Samuel Beckett destaca uma unidade poética idiossincrática que se desloca entre um meio de expressão e outro, classificando sua obra de multimídia, uma vez que se articula no entreato de múltiplas artes, como cinema, crítica, literatura, teatro, televisão e rádio. Devem-se comparar as semelhanças e dissemelhanças entre os textos originais e suas respectivas traduções para o inglês ou francês, e vice-versa, para sobrepô-los sobre a camada da adaptação ao medium em questão, exemplificando: o monólogo Not I (publicado originalmente em inglês, no ano de 1972) é sobreposto à Pas Moi (a tradução francesa de 1975) que, por sua vez, perpassam pela releitura da transcriação televisiva de Not I (produzida para a rede de televisão inglesa BBC2, em 1977). A prática é beckettiana em si: o deslocar-se entre as linguagens as depura, assim sendo, apresentar-se-á um recorte do estudo sobre as transcriações de Not I.


Texto completo:

PDF


ISSN eletrônico: 2236-4013


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribuition 3.0.


Indexadores: 


 

 

cariniana 2

 

TRANSLATIO
Instituto de Letras
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Gonçalves, 9500, CEP 91540-000
Porto Alegre - RS
Email: translatio.ufrgs@gmail.com