Lasar Segall entre viagens e migrações: um europeu nos trópicos

Monica Raisa Schpun

Resumo


Neste artigo, examino os deslocamentos migratórios do artista plástico Lasar Segall (1889-1957). Trata-se, a meu ver, de um caso paradigmático para o estudo das migrações de artistas tanto pelas marcas deixadas pela experiência migratória em sua pintura, quanto pelo destaque a elas dado na recepção crítica de sua obra. Nesse exercício, abordo as especificidades das migrações do artista dentro
de um contexto mais amplo de fluxos migratórios contemporâneos aos seus. De fato, o período mais movimentado da vida de Segall, de 1906 a 1932, entre viagens e migrações, também foi marcado por grandes fluxos migratórios tanto intraeuropeus como transatlânticos. Enfim, alguns temas conexos também serão tratados, como nacionalismo, xenofobia e racismo, cosmopolitismo, exotismo, transnacionalismo e exílio.


Palavras-chave


Lasar Segall, Viagens, Migrações, Recepção crítica, Europa, Brasil

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/15174522-02004907

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Visite nossa página no Facebook

 

ISSN impresso: 1517-4522

ISSN on-line: 1807-0337

Propriedade Intelectual: All content of the journal, except where identified, is licensed under a Creative Commons attribution-type BY.