Hélices, sistemas, ambientes e modelos: os desafios à Sociologia da Inovação

Comissão Editorial Sociologias, Maria Lucia Maciel

Resumo


A revolução científico-tecnológica dos últimos vinte anos operou mudanças profundas e aceleradas nas formas de produzir e nas relações sociais que as acompanham. O objeto primordial da Sociologia, a mudança social, adquire complexidade cada vez maior e desafia os potenciais teóricos e metodológicos da disciplina. Esses processos atuais de mudança podem ser sintetizados na expressão “sociedade do conhecimento”. A inovação (em seu sentido mais amplo, tecnológico e social) torna-se objeto-chave – tanto para a ciência social quanto para as políticas e estratégias de desenvolvimento. Se no estudo de processos de inovação a sociologia pode construir conceitos com alto poder explicativo para as especificidades de ambientes culturais e político-institucionais, constata-se que a maioria das pesquisas sobre inovação e desenvolvimento até agora realizadas no Brasil ainda não satisfaz as necessidades de compreensão e análise de processos de inovação. Este artigo expõe um conjunto de três fatores intimamente articulados que parecem estar restringindo a capacidade de análise e explicação desses processos, acompanhados por contrapontos estratégicos que visam a enriquecer e potencializar os estudos no campo da inovação.

Palavras-chave


teoria sociológica; inovação; sociedade do conhecimento; interdisciplinaridade

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.