Variações sobre um tema: maneiras de viver das crianças que residem em bairros gentrificados em Paris, Londres e San Francisco

Jean-Yves Authier, Sonia Lehman-Frisch

Resumo


Se as relações dos adultos com o bairro estão relativamente bem estudadas pela literatura sobre a gentrificação, não se pode dizer o mesmo a respeito das crianças que, no entanto, constituem uma população muito visível de numerosos bairros gentrificados. Contribuindo para preencher esta lacuna, este artigo analisa as representações, as práticas e as sociabilidades de crianças com idade entre 9 e 11 anos em três bairros gentrificados de Paris, Londres e São Francisco. As análises apresentadas estabelecem que os bairros gentrificados (quando colocam famílias em jogo) são lugares plenamente habitados pelas crianças, que praticam mais a “mistura social” do que seus pais e, de modo mais amplo, do que os adultos que residem nesses bairros. Ao mesmo tempo, o artigo mostra que as maneiras de habitar das crianças nos bairros gentrificados são perpassadas por fortes diferenciações, que derivam em parte dos contextos em que residem e, em parte, das características sociais das crianças (meio social, sexo, idade, posição em relação aos irmãos/irmãs...).

Palavras-chave


Gentrificação; Bairro; Crianças; Diferenciações Sociais; Comparação Internacional

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/15174522-019004611

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.