SOCIOLOGIA NA COMPLEXIDADE

Comissão Editorial Sociologias, Gilson Lima

Resumo


O artigo se propõe a fazer uma introdução didática e informativa e, ao mesmo tempo, aprofundada sobre as conseqüências da emergência do paradigma da complexidade para a Sociologia. No desenrolar da narrativa, faz comparações, o que permite ao leitor não familiarizado com a temática da ciência identificar as diferenças macroparadigmáticas pré-modernas, da modernidade simples e da emergência do paradigma da complexidade. Define e exemplifica, sempre que possível, os termos, afirmações e princípios significativos para uma melhor compreensão do tema. Faz, também, inúmeras indicações, no interior da narrativa, de autores e obras, para que aqueles que desejarem continuar, possam mergulhar mais intensamente nos caminhos da sociologia da complexidade.
O artigo inicia com uma introdução que define, a partir de Thomas Kuhn, o conceito de paradigma. A seguir, desenvolve de modo comparado, os princípios mais importantes do paradigma da complexidade. E, por fim, chama a atenção para alguns desafios da Sociologia na complexidade, alertando para os riscos da paralisação da complexidade na difícil tarefa de religarmos os saberes diante da hiperespecialização presente na crise do paradigma da modernidade simples.

Palavras-chave


paradigma da complexidade; sociologia e complexidade; conhecimento do conhecimento; modulação da complexidade

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.