O AGIR DOCENTE E A INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO NA FORMAÇÃO TÉCNICA EM ENFERMAGEM PARA O SUS

Michele da Rosa Ferreira, Ananyr Porto Fajardo, Cristine Maria Warmling

Resumo


O estudo possui o objetivo principal de analisar o agir docente no processo de integração ensino-serviço de um Curso Técnico em Enfermagem do Sistema Único de Saúde (SUS). Trata-se de um estudo de caso do tipo único e holístico, com abordagem qualitativa. Foram realizados três grupos focais (gravados e transcritos) com oito docentes dos onze que atuam na escola analisada. Os resultados sistematizados do grupo anterior foram apresentados e usados em continuidade ao roteiro com base no agir em competência da Ergologia. Os discursos que emergiram durante a realização dos grupos focais contribuíram para planejar a educação permanente dos docentes sobre o princípio educativo do trabalho e a revisão do Projeto Político Pedagógico do Curso, aproximando-se da pesquisa-ação-intervenção. A análise textual do discurso demonstrou que as lógicas das tecnologias educacionais do agir docente em processos de integração ensino-serviço na escola de serviço do SUS subverte a das escolas formais do sistema de ensino – do trabalho como centro do ensino para o ensino que se constitui no trabalho. Se, em uma escola de serviço do SUS, trabalhar é educar-se, do agir dos próprios docentes ao aprendizado dos estudantes/trabalhadores, o papel das renormalizações das normas é princípio da tecnologia pedagógica do agir docente do SUS.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBIERO, J. F. G.; FREITAS, S. F. T. Modelo para avaliação da integração ensino-serviço em unidades docentes assistenciais na atenção básica. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 41, n. 114, p. 753-767, jul./set. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v41n114/0103-1104-sdeb-41-114-0753.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

ALBUQUERQUE, V. S. et al. A Integração ensino-serviço no contexto dos processos de mudança na formação superior dos profissionais da saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 32, n. 3, p. 356-362, dez. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v32n3/v32n3a10. Acesso em: 6 dez. 2019.

BALDOÍNO, A. S.; VERAS, R. M. Análise das atividades de integração ensino-serviço desenvolvidas nos cursos de saúde da Universidade Federal da Bahia. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 50, p. 17-24, nov. 2016. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v50nspe/pt_0080-6234-reeusp-50-esp-0017.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

BATISTA, K. B. C.; GONÇALVES, O. S. J. Formação dos profissionais de saúde para o SUS: Significado e cuidado. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 20, n. 4, p. 884-899, out./dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v20n4/07.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

BOANAFINA, A.; BOANAFINA, L.; WERMELINGER, M. A educação profissional técnica de nível médio em saúde na rede federal de educação. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 73–93, abr. 2017. Disponível em: . Acesso em: 6 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição. Gerência de Ensino e Pesquisa. Plano de Desenvolvimento Institucional. Porto Alegre: Grupo Hospitalar Conceição, 2012a.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 06, de 20 de setembro de 2012.

Define diretrizes curriculares nacionais para a educação profissional técnica de nível médio. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 21 set. 2012b. Disponível em: . Acesso em: 6 dez. 2019.

BRASIL. Casa Civil. Decreto nº 8.268, de 18 de junho de 2014. Altera o Decreto nº 5.154, de 23 de julho de 2004, que regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 19 jun. 2014. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Decreto/D8268.htm. Acesso em: 6 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Oficio nº 1216C/2016. Termo de Cooperação Técnica nº 102/2013. Celebram o Grupo Hospitalar Conceição-GHC e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul. Campus Porto Alegre. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 26 de fev. 2016a. Seção 3, p. 92. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/109848663/dou-seção-3-26 -02 -2016201620162016-pg-92. Acesso em: 6 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição. Gerência de Ensino e Pesquisa. Projeto pedagógico do Curso Técnico em Enfermagem. Porto Alegre: Grupo Hospitalar Conceição, 2016b.

BRASIL. Ministério da Saúde. Grupo Hospitalar Conceição. Gerência de Ensino e Pesquisa. Ata da reunião dos docentes do curso Técnico de Enfermagem. Porto Alegre: Grupo Hospitalar Conceição, maio 2017.

CECCIM, R. B.; CARVALHO, Y. M. Ensino da saúde como projeto da integralidade: a educação dos profissionais de saúde no SUS. In: CECCIM, R. B.; PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A. Ensinar saúde: a integralidade e o SUS nos cursos de graduação na área da saúde. Rio de Janeiro: IMS/UERJ, 2006.

CECÍLIO, L. C. O. Apontamentos teórico-conceituais sobre processos avaliativos considerando as múltiplas dimensões da gestão do cuidado em saúde. Interface (Botucatu, Online), Botucatu, v. 15, p. 589-599, abr./jun. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v15n37/a21v15n37.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

DEMERS-PAYETTE, O.; LEHOUX, P.; DAUDELIN, G. Responsible research and innovation: a productive model for the future of medical innovation. Journal of Responsible Innovation, Montreal, p. 188-208, Feb. 2016. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/23299460.2016.1256659?journalCode=tjri20. Acesso em: 6 dez. 2019.

FARIA, L. et al. Integração ensino-serviço-comunidade nos cenários de práticas na formação interdisciplinar em saúde: uma experiência do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde) no sul da Bahia, Brasil. Interface (Botucatu, Online), Botucatu, v. 22, n. 67, p. 1257-1266, out./dez. 2018.

Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832018000401257&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 6 dez. 2019.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Boockman, 2009.

FURCO, A. Service-Learning: a balanced approach to experiential education. University of California, 1996. Disponível em: https://www.shsu.edu/academics/cce/documents/Service_Learning_Balanced_Approach_To_Experimental_Education.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

GALVÃO, E. A.; SOUSA, M. F. As escolas técnicas do SUS: que projetos político-pedagógico as sustentam? Physis (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 22, n. 3, p.1159-1189, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/v22n3/17.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

GODINHO, A. C. F.; FISCHER, M. C. B. Circulação de saberes e valores em sala de aula: “usos de si” por alunas da educação profissional integrada à EJA. Educação em Foco, Belo Horizonte, v. 16, n. 21, p. 119-145, jul. 2013. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/104484/000922678.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 6 dez. 2019

KREMPEL, M. C. COFEN recomenda ao MEC que cursos de enfermagem a distância não sejam reconhecidos. Conselho Federal de Enfermagem. Brasília, janeiro. 2013. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/cofen-recomenda-ao-mec-que-cursos-de-enfermagem-a-distancia-nao-sejam-reconhecidos_17968.html. Acesso em: 4 jan. 2019.

LOSEKANN, M. V. Atividade de trabalho docente na educação profissional entre normas e renormalizações: o estágio supervisionado e a formação de técnicos em enfermagem. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/183217/001078417.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 6 dez. 2019.

LOUZADA, A. P. F.; BONALDI, C.; BARROS, M. E. B. Integralidade e trabalho em equipe no campo da saúde: entre normas antecedentes e recentradas. In: PINHEIRO, R.; BARROS, M. E.; MATTOS, R. A. (org.). Trabalho em equipe sob o eixo da integralidade: valores, saberes e práticas. Rio de Janeiro: IMS/UERJ: CEPESC: ABRASCO, 2007. p. 37-52. Disponível em: https://lappis.org.br/site/wp-content/uploads/2017/12/Trabalho-em-Equipe-sob-o-eixo-da-Integralidade-Valores-Saberes-e-Pr%C3%A1ticas.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

MACHADO, M. E. Tensões entre as concepções e as políticas públicas de Educação Profissional em Saúde de nível médio no Estado do Rio Grande do Sul. 2013. 142 f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Porto Alegre, 2013. Disponível em: https://www.mendeley.com/viewer/?fileId=1391de6d-f244-94cb-3acc-be2ec115d0e0&documentId=56109d9b-2292-3035-9d04-1d6d3ab2cbc4. Acesso em: 21 dez. 2018.

MENDES, E. V. A atenção primária à saúde no SUS. Fortaleza: Escola de Saúde Pública do Ceará, 2002.

MINAYO, C.; SANCHES, O. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, p. 239–262, jul./set. 1993. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v9n3/02.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, Bauru, v. 9, p. 191-211, out. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v9n2/04.pdf. Acessado em: 6 dez. 2019.

NESPOLI, G. Os domínios da tecnologia educacional no campo da saúde. Interface (Botucatu, Online), Botucatu, v. 17, n. 47, p. 873-884, out./dez. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/2013nahead/aop3613.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

PEREIRA, A. F. Integração ensino-serviço em Porto Alegre: a construção do distrito docente-assistencial Glória-Cruzeiro-Cristal. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Práticas Pedagógicas em Serviços de Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/76124/000892642.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 6 dez. 2019.

PEZZATO, L. M.; L'ABBATE, S. Uma pesquisa-ação-intervenção em saúde bucal coletiva: contribuindo para a produção de novas análises. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 21, n. 2, p. 386-398, jan. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v21n2/a12v21n2.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

RAMOS, M. Concepções e práticas pedagógicas nas escolas técnicas do Sistema Único de Saúde: fundamentos e contradições. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 7, p. 153-173, jan. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462009000400008&lng=en &nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 6 dez. 2019.

RAMOS, M. O trabalho como princípio educativo. In: PACHECO, E. (org.) Perspectivas da educação profissional técnica de nível médio: proposta de Diretrizes Curriculares Nacionais. São Paulo: Moderna, 2012. p. 67-70. Disponível em: https://reitoria.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2014/06/Perspectivas-da-EPT.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

RAMOS, M. C.; BARROS, M. E. B.; FERRAÇO, C. E. As redes cotidianas dos currículos na formação dos trabalhadores da saúde. In: SODRÉ, F. et al. (org.). Formação em saúde: práticas e perspectivas no campo da saúde coletiva. Vitória: Edufes, 2016. p. 30-56. Disponível em: http://repositorio.ufes.br/bitstream/10/6771/8/Forma%C3%A7%C3%A3o%20em%20Sa%C3%BAde.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

SANDER, B. Gestão da educação na América Latina: construção e reconstrução do conhecimento. Campinas: Autores Associados, 1995.

SCHWARTZ, Y.; DURRIVE, L. Trabalho e ergologia: conversa sobre atividade humana. 2. ed. São Paulo: EDUFF, 2010.

SCHWARTZ, Y. Motivações do conceito de corpo-si: corpo-si, atividade, experiência. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 49, n. 3, p. 259-274, jul./set. 2014. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/viewFile/19102/12151. Acesso em: 6 dez. 2019.

TERCEIRO, C. B. S. Aprendizagem e impredizagem: trajetórias profissionais e relação com o saber na atividade de trabalho na panificação e na confeitaria. 2017. Dissertação (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/180123/001070348.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 6 dez. 2019.

VASCONCELOS, M. F. F. et al. Entre políticas (EPS - Educação Permanente em Saúde e PNH - Política Nacional de Humanização): por um modo de formar no/para o Sistema Único de Saúde (SUS). Interface (Botucatu, Online), Botucatu, v. 20, n. 59, p. 981-991, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v20n59/1807-5762-icse-1807-576220150707.pdf. Acesso em: 6 dez. 2019.

WARMLING, C. M. et al. O agir em competência para o cuidado especializado na saúde bucal. Revista da ABENO, Brasília, v. 15, n. 1, p. 12-27, 2015. Disponível em: https://revabeno.emnuvens.com.br/revabeno/article/view/142/131. Acesso em: 6 dez. 2019.

WASHINGTON DC. Organização Pan-Americana da Saúde. Ampliação do papel dos enfermeiros na atenção primária à saúde. Washington, DC: OPAS, 2018. Disponível em: http://iris.paho.org/xmlui/bitstream/handle/123456789/34960/9789275720035_por.pdf?sequence=6&isAllowed=y. Acesso em: 6 dez. 2019.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.