LER, OLHAR E VER: UMA DISTINÇÃO QUE FAZ FALTA!

Fabiana Schneider Pires, Paulo Peixoto de Albuquerque, Ramona Fernanda Ceriotti Toassi

Resumo


A diferença entre ver e olhar não é só uma distinção semântica ou um jogo de linguagem, mas um lugar ou processo fundamental para a nossa experiência como leitores.

Uma revista eletrônica pode parecer à “primeira vista” que se constitui por elementos que pouco se diferem de outros suportes de informação ou modos de representar uma dada realidade. Entretanto, há nela palavras que provocam diferenças, modos de pensar significantes e singulares que revelam nos seus temas, ações, comportamentos e modos de compreender Educação e Saúde e particularmente Ensino na Saúde. O que acontece em cada número (situações, problemas, fatos curiosos) aponta e sinaliza que estamos submetidos a um mundo de imagens que muitas vezes não entendemos e, por isso, podemos dizer que lemos e não vemos, olhamos e não enxergamos.

Os temas deste número da Saberes Plurais revelam uma dupla situação: a do ver que é diferente do olhar quando se tem como baliza o mundo das Políticas de Saúde, e que o pensar saúde (e tudo que acontece nela) pode ser compreendido como um território/espaço de exercício político.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.