OS ENCONTROS E DESENCONTROS ENTRE SABERES POPULARES, ATENÇÃO BÁSICA E EMERGÊNCIA

Sabrina Lacerda da Silva, Carmen Lucia Machado

Resumo


O presente ensaio crítico tem por objetivo mostrar a intersecção entre os saberes populares, a Atenção Básica à Saúde e a rede de urgência e emergência no que o tange fazer e saber atuar em situações de risco à vida. O texto apresentado é fruto de experiências em educação na saúde e situações de assistência no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), no município de Porto Alegre e região metropolitana. As situações vivenciadas na prática são intercruzadas com as políticas públicas vigentes em saúde. E, a partir dessa conversa entre textos e o fazer cotidiano dos profissionais da saúde, surge uma reflexão sobre o atendimento as urgências/emergências fora dos muros hospitalares.


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, F. S. Protocolo de diagnóstico e tratamento de asma da sociedade do estado do Rio de Janeiro. 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2018.

BRASIL. Lei 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 set. 1990. Seção 1, p. 18055. Disponível em: Acesso em: 10 nov. 2018.

BRASIL. Portaria nº 2048, de 5 de novembro de 2002. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 12 nov. 2002. Seção 1, p. 50. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2018.

BRASIL. Portaria nº 1.996, de 20 de agosto de 2007. Dispõe sobre as diretrizes para a implementação da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 22 ago. 2007. Seção 1, p. 34. Disponível em: .Acesso em: 10 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada. Manual Instrutivo da Rede de Atenção às Urgências e Emergências no Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2018.

BRASIL. Portaria 354, de 10 de março de 2014. Publica a proposta de Projeto de Resolução "Boas Práticas para Organização e Funcionamento de Serviços de Urgência e Emergência". Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 mar. 2014. Seção 1, p. 38. Disponível em:

. Acesso em: 10 nov. 2018.

BRASIL. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 22 set. 2017. Seção 1, p. 68. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2018.

CECCIM, R. B. Educação Permanente em Saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface-comunic., Saúde, Educ., Botucatu, v. 9, n. 16, p. 161-177, set. 2004/fev. 2005. Disponível em: .Acesso em: 10 nov. 2018.

FORTES, J. I.; OLIVEIRA, S. C.; CRUZ, S. C. G. R.; MATSUI, T. Curso de especialização profissional de nível técnico em enfermagem – livro do aluno: urgência e emergência. 1a ed. São Paulo: FUNDAP, 2010.

FRANCO, T. B. Produção do cuidado e produção pedagógica: integração de cenários do sistema de saúde no Brasil. Interface-comunic., Saúde, Educ., Botucatu, v. 11, n. 23, p. 427-38, set./dez. 2007.

GÓMEZ, M. J. A. Globalização, desenvolvimento local e educação permanente. In: ZAYAS, E. L. (Org.). O paradigma da educação continuada. Porto Alegre: Penso, 2012. p. 136-159.

KAHHALE, S.; FRANCISCO, R.; ZUGAIB, M. Pré-eclampsia. Revista de Medicina, La Paz, v. 97, n. 2, p. 226-234, jun. 2018.

LEMOS, C. L. S. Educação Permanente em Saúde no Brasil: educação ou gerenciamento permanente? Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 913-922, 2016.

MORAIS FILHO, L. A. M. et al. Educação permanente em saúde: uma estratégia para articular ensino e serviço. Rev. Rene (Online), Fortaleza, v. 14, n. 5, p. 1050-1060, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2018.

ORGANIZACIÓN MUNDIAL DE LA SALUD. Continuando la educación de los trabajadores de salud: principio e guias para el desarrolo de um sistema. Genebra. 1982.

QUILICI, A. P.; TIMERMAN, S. Suporte básico de vida: primeiro atendimento na emergência para profissionais da saúde. São Paulo: Manole, 2011.

STARFIELD, B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologias. Brasília: Ministério da Saúde. UNESCO, 2002.

TOBASE, L.; TOMAZINI, E. S. Urgências e emergências em enfermagem. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Hospital Universitário. Centro de ciências da saúde. Epilepsia: material educativo. Florianópolis: UFSC, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.