Comunicação no processo de ensino em saúde: um relato de experiência

Autores

  • Cassiela Roman Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica (PPGASFAR)
  • Juliana Ellwanger Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica (PPGASFAR)
  • Gabriela Curbeti Becker Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica (PPGASFAR)
  • Anderson Donelli da Silveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Cardiovasculares (PPGCARDIO)
  • Carmen Lucia Bezerra Machado Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde (PPGENSAU)
  • Waldomiro Carlos Manfroi Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde (PPGENSAU)

DOI:

https://doi.org/10.54909/sp.v2i2.80857

Resumo

Este artigo trata de relato de experiência de uma aula sobre comunicação em saúde ministrada em uma disciplina de um programa de pós-graduação, no sul do Brasil. A aula, com duração de aproximadamente duas horas, ocorreu no mês de novembro de 2016. Os alunos são profissionais de diferentes áreas da saúde e participam de programas de mestrado e doutorado. A escolha do tema da aula se deu a partir da percepção quanto à necessidade de se enfrentar linguagens verbais e não verbais para produção do sentido da comunicação, no contexto de prática assistencial e docente. Para tanto, foram realizadas atividades coletivas, utilizando metodologias ativas e dialogadas que possibilitaram a participação de docentes e discentes no processo de aprendizagem. A aula foi composta por uma introdução inicial, três dinâmicas abordando elementos verbais e não verbais da comunicação, discussão sobre as atividades e um vídeo para o fechamento do processo. No presente relato estão descritos os aspectos detalhados do roteiro de aula, bem como o conteúdo gerado pelas discussões sobre o tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cassiela Roman, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica (PPGASFAR)

Farmacêutica. Graduada pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (2014). Especialização em Saúde da Família e Comunidade, pelo Programa de Residência Integrada em Saúde do Grupo Hospitalar Conceição (RIS/GHC) (2016); e Informática em Saúde pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) (2016). Atualmente, mestranda em Assistência Farmacêutica pelo PPGASFAR da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Juliana Ellwanger, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica (PPGASFAR)

Farmacêutica, mestranda do PPG em Assistência Farmacêutica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Gabriela Curbeti Becker, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Assistência Farmacêutica (PPGASFAR)

Farmacêutica, mestranda do PPG em Assistência Farmacêutica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Anderson Donelli da Silveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Cardiovasculares (PPGCARDIO)

Médico, Doutor pelo PPG em Ciências Cardiovasculares da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Carmen Lucia Bezerra Machado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde (PPGENSAU)

Professora Titular de Sociologia da Educação, DEBAS/FACED/PPGEDU e PPGENSAU/UFRGS.

Waldomiro Carlos Manfroi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde (PPGENSAU)

Professor Doutor do PPG Ensino na Saúde – Mestrado Profissional – Faculdade de Medicina – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Referências

BACHMANN, C. et al. A European consensus on learning objectives for a core communication curriculum in health care professions. Patient Education and Counseling, Limerick, v. 93, p.18-26, 2013.

CARVALHO, B. G. C.; MONTENEGRO, L. C. Metodologias de comunicação no processo de educação em saúde. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, Divinópolis, v. 2, n. 2, p. 279-287, 2012.

CASTRO, I. L. Linguagem verbal e não verbal: o ensino de Língua Portuguesa. Faculdade Almeida Rodrigues, Rio Verde, 2013. Disponível em:

<http://www.faculdadefar.edu.br/artigo-cronica/detalhe/id/21>. Acesso em: 21 jul. 2018.

CORIOLANO-MARINUS, M. W. L.; QUEIROGA, B. A. M.; RUIZ-MORENO, L.; LIMA, L. S. Comunicação nas práticas em saúde: revisão integrativa da literatura. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 23, n. 4, p. 1356-1369, 2014.

COTTA, R. M. M.; COSTA, G. D.; MEDONÇA, É. T. Portfólio reflexivo: uma proposta de ensino e aprendizagem orientada por competências. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 6, p. 1847-1856, 2013.

DONATO, A. F.; GOMES, A. L. Z. O estudo da comunicação na formação dos profissionais de saúde: algumas questões e aproximações. Boletim do Instituto de Saúde, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 37-43, 2010.

DUARTE, L. Como as redes sociais formam bolhas de radicalização e intolerância. Jornal Zero Hora, Porto Alegre, 18 nov. 2016. Disponível em: < https://gauchazh.clicrbs.com.br/politica/noticia/2016/11/como-as-redes-sociais-formam-bolhas-de-radicalizacao-e-intolerancia-8377226.html>. Acesso em: 21 jul. 2018.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GASNIER, D. G. Guia prático: comunicação empresarial. São Paulo: IMAM, 2008.

GOSSENHEIMER, A. N.; CARNEIRO, M. L. F.; CASTRO, M. S. Estudo comparativo da metodologia ativa “gincana” nas modalidades presencial e à distância em curso de graduação de Farmácia. ABCS Health Sciences, Santo André, v. 40, n. 3, p. 234-240, 2015.

HOLANDA, A. B. Minidicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 8. ed. Curitiba: Editora Positivo, 2010.

INOCÊNCIO, D.; CAVALCANTI, C. M. C. O trabalho em grupo como metodologia de ensino em cursos e disciplinas on-line. In: Congresso ABED, 12., 2005, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ABED, p. 1-10, 2005. Disponível em: < http://www.abed.org.br/congresso2005/por/pdf/014tcc3.pdf >. Acesso em: 21 jul. 2018.

LOMBARDI, M. A. A importância da comunicação. São Paulo, 2006. Disponível em:

<http://www.ceismael.com.br/oratoria/importancia-da-comunicacao.pdf>. Acesso em: 21 jul. 2018.

MELO, B. C.; SANT’ANA, G. A prática da Metodologia Ativa: compreensão dos discentes enquanto autores do processo ensino-aprendizagem. Comunicação em Ciências da Saúde, Brasília, v. 4, n. 23, p. 327-339, 2012.

OLIVEIRA, Y. C. A.; CELINO, S. D. M.; COSTA, G. M. C. Comunicação para ferramenta essencial para assistência à saúde dos surdos. Physis: revista de saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. 1, p. 307-320, 2015.

RAMOS, D. K. Vídeo produzido para a Especialização em Coordenação Pedagógica da UFSC, Florianópolis, 2011. Disponível em:

<https://www.youtube.com/watch?v=_C3AmzKpJbQ>. Acesso em: 21 jul. 2018.

SILVA, S. L. et al. Estratégia Educacional Baseada em Problemas para Grandes Grupos: Relato de Experiência. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 39, n. 4, p. 607-613, 2015.

TEIXEIRA, J. A. C. Comunicação em Saúde: relação técnicos de saúde – utentes. Análise Psicológica, Lisboa, v. 22, n. 3, p. 615-620, 2004.

Downloads

Publicado

2018-08-08

Como Citar

ROMAN, C.; ELLWANGER, J.; BECKER, G. C.; SILVEIRA, A. D. da; MACHADO, C. L. B.; MANFROI, W. C. Comunicação no processo de ensino em saúde: um relato de experiência. Saberes Plurais: Educação na Saúde, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 14–24, 2018. DOI: 10.54909/sp.v2i2.80857. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/saberesplurais/article/view/80857. Acesso em: 30 set. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)