Avaliação do Programa de Pós-graduação em Ensino na Saúde - Mestrado Profissional da UFRGS: percepções de egressos

Paulo Peixoto de Albuquerque, Ramona Fernanda Ceriotti Toassi, Danilo Blank

Resumo


O Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde (PPGENSAU) iniciou suas atividades na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em agosto de 2012, vinculado à Faculdade de Medicina (FAMED), a partir da proposta de oferecer subsídios teórico-conceituais, metodológicos, científicos e pedagógicos aos profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS), para que desenvolvessem atividades de educação visando ao aprimoramento das práticas solidárias de atenção e de gestão em saúde. Acolheu 20 estudantes em sua primeira turma, dos quais 19 concluíram o mestrado dentro do período programado, no segundo semestre de 2014. O objetivo deste relatório institucional foi acompanhar os egressos da primeira turma do PPGENSAU e colher suas percepções sobre o impacto do programa no âmbito profissional, pessoal e acadêmico. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário online semiestruturado, autoaplicável, que contemplou informações sobre o perfil sociodemográfico; eventos nos quais trabalhos tenham sido apresentados, identificando títulos e formato das produções; situações em que os produtos do mestrado tenham sido discutidos ou aplicados no ambiente profissional e destaque qualitativo do impacto do programa na vida dos egressos, nas dimensões pessoal, profissional e acadêmica. A turma foi composta exclusivamente por mulheres, com idades entre 29 e 51 anos, com atuação profissional em saúde no estado do Rio Grande do Sul. Sua formação deu-se em nove cursos da área da saúde (enfermagem, odontologia, medicina, fisioterapia, fonoaudiologia, serviço social, terapia ocupacional, psicologia e farmácia) e um curso da área da educação (pedagogia). A maior parte eram enfermeiras e cirurgiãs-dentistas. O vínculo atual de trabalho em serviços vinculados ao SUS foi predominante. A experiência no programa ressignificou o fazer profissional discente. Os relatos permitem concluir que ser egresso do PPGENSAU propiciou dois tipos de impacto profissional: o agir de forma rigorosa (seja na pesquisa e/ou outros projetos de intervenção), que materializa modos de ser apreendidos no curso, e o surgimento de oportunidades de trabalho concretas e diferenciadas (tais como publicações, assunção de cargos de gestor, docência). Importante destacar que esta análise permitiu ao colegiado de professores repensar o percurso de aprendizagem dos acadêmicos e constatar que seu desenvolvimento profissional subsequente não ocorre por acaso.

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, M. G. Ciclos de desenvolvimento humano e formação de educadores. Educação e sociedade, Campinas, n. 68, p. 143-162, 1999.

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação. n. 19, p. 20-28, jan./fev./mar./abr., 2002.

MATURANA, H. Emoções e Linguagem na Educação e na Política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002.

ORLANDI, E. P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 5. ed. Campinas: Pontes, 2003.

PERRENOUD, P. Pedagogia diferenciada: das intenções à ação. Porto Alegre: Artmed, 2000.

REUTER, Y. A análise da narrativa: o texto, a ficção e a narração. Rio de Janeiro: Difel, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.