Le traducteur en tant que créateur de neologie

Patrícia Chittoni Ramos Reuillard

Resumo


A partir da noção de competência tradutória, este trabalho correlaciona criação neológica e atividade de tradução,defendendo a necessidade de maior implicação do tradutor na produção de neologismos secundários. Para tanto, apresenta umaamostra de neologia lacaniana, analisada e classificada quanto a seus aspectos formais e funcionais. Concluída essa etapa inicial declassificação, as traduções dos neologismos dos Seminários publicados no Brasil foram igualmente analisadas na busca de umpadrão de critérios tradutórios. A associação das duas análises levou à criação de uma proposta de critérios de equivalência para osneologismos lacanianos em língua portuguesa. O objetivo deste artigo é, portanto, descrever e comentar a classificação formal efuncional e expor a proposta de equivalência tradutória em língua portuguesa, acrescida de exemplos, correlacionando-a àcompetência tradutória. A pesquisa toma como referencial teórico estudos sobre neologia, psicanálise lacaniana, linguística decorpus e tradução. Os resultados obtidos até o momento comprovam que o tradutor competente, enquanto profissional dalinguagem, deve estar apto para propor novos itens lexicais em sua língua materna.

Palavras-chave


Neologia Tradutória; Competência Tradutória; Equivalência

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Debate Terminológico
http://seer.ufrgs.br/riterm/