A CIDADE, O CAMPO E O TEMPO: PORTO ALEGRE E ANTÔNIO CARLOS TEXTOR

Alexandra Lis Alvim

Resumo


RESUMO
Escolhas espaciais em produções cinematográficas podem revelar muito sobre as visões de mundo de seus realizadores. Nos tempos da Ditadura Militar, o mundo urbano ampliou abruptamente suas dimensões: questões sobre campo e cidade se atrelaram, definitivamente, a concepções sobre modernidade. Esse artigo pretende observar como isto aparece no cinema produzido no Rio Grande do Sul, um estado tradicionalmente rural onde, na década de setenta, anos de êxodo rural e modernização conservadora nacional, faziam sucesso os melodramas de Teixeirinha, heroi de valores atrelados ao campo. O artigo, por fim, pretende relacionar tais questões com o curta-metragem “A Cidade e o Tempo”, de Antônio Carlos Textor, que ressalta, e ao mesmo tempo questiona, as transformações urbanas na Porto Alegre dos tempos ditatoriais.

ABSTRACT
Spatial choices in movie productions can reveal much of their directors’ worldviews. During Brazil’s military dictatorship, the urban world suddenly expanded its dimensions: questions about country and town were permanently attached to conceptions of modernity. This article aims to analyze how it appears in the movies produced in Rio Grande do Sul, a traditionally rural state, where, in the seventies, a time of rural exodus and national conservative modernization, the melodramas of Teixeirinha, a hero of values attached to the country, were a hit. Lastly, the article aims to relate these issues with the short film “A Cidade e o Tempo,” by Antonio Carlos Textor, who points out, while questions, the urban changes in the Porto Alegre of dictatorial times.


Palavras-chave


Palavras-chave: Cidade. Modernidade. Porto Alegre. / Keywords: City. Modernity. Porto Alegre.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1678-3484 - Qualis: História B3 - Planejamento Urbano B5 - Ciências Sociais Aplicadas B4 - Letras B2. Contato: revistaihgrgs@ufrgs.br