MAPEAMENTO DE COMUNIDADES BOÊMIAS NO RIO GRANDE DO SUL

Jussara Maria Habel

Resumo


RESUMO
Os estudos relacionados aos imigrantes de origem alemã permitem resgatar e registrar a história, a cultura e a língua que resistiu por aproximadamente 200 anos no Brasil. Com isso, o presente artigo tem como objetivo central mapear comunidades que possuem indícios de imigrantes boêmios (Bo), no Rio Grande do Sul (RS). O conceito de boêmio remete à matriz de partida dos imigrantes na Boêmia, atual República Tcheca, que na época da emigração pertencia ao antigo Império Austro-húngaro (1867-1918). Esta origem geográfica, ao lado da origem linguística de base dialetal bávara, justifica a sobreposição desse conceito com correlatos como austríaco, tcheco e bávaro. Soma-se a essa diferenciação interna das línguas de imigração uma série de contatos linguísticos com falantes de outras variedades, em especial do Hunsrückisch (pt. hunsriqueano), do alemão standard local, e ainda, do português como língua majoritária. Para o mapeamento utiliza-se entrevistas realizadas pelo Projeto ALMA-H (Atlas Linguístico-Contatual das Minorias Alemãs na Bacia do Prata: Hunsrückisch, coordenado por C. Altenhofen e H. Thun), as quais seguem o modelo teórico-metodológico da geolinguística pluridimensional e contatual (THUN, 1998). Devido à relevância dos dados, o foco deste trabalho se restringe apenas a três pontos de pesquisa, do total de sete comunidades que possuem fortes marcas da migração boêmia (HABEL, 2014). Este mapeamento é importante para possibilitar um futuro estudo sociolinguístico e, também, para documentar as variedades de fala das comunidades boêmias que vivem em contextos de contato linguístico.

ABSTRACT
Studies related to the immigrants of German origin allow to rescue and register the history, culture, and language that resisted for about 200 years in Brazil. Thereby, this article aims to map some communities which give evidences of Bohemian immigrants (Bo), in Rio Grande do Sul (RS). The concept of Bohemian refers to the immigrants with origin in Bohemia, currently Czech Republic. By the time of the emigration, Czech Republic was part of the ancient Austro-Hungarian Kingdom (1867-1918). This geographical origin, besides the linguistic origin with a Bavarian dialect base, justifies the overlapping of the Bohemian concept with correlates, such as Austrian, Czech, and Bavarian. It is added to this internal differentiation of immigration languages a series of linguistic contacts with speakers of other German varieties, especially Hunsrückisch, local standard German, and also Portuguese as the majoritarian language. For the mapping we employ interviews carried out by the ALMA-H Project (Atlas Linguístico-Contatual das Minorias Alemãs na Bacia do Prata: Hunsrückisch), coordinated by Altenhofen and Thun. Those interviews were collected according to the method of multidimensional and contactual geolinguistics (THUN, 1998). Owing to the relevance of the data, the focus of this work is limited to only three points of research, from the total of seven communities that have strong marks of bohemian migration (HABEL, 2014). This mapping is relevant in order to enable a future sociolinguistic study and also to document the language varieties of bohemian communities living in linguistic contact contexts.


Palavras-chave


Palavras-chave: Imigrantes boêmios. Hunsriqueanos. Línguas de Imigração no Brasil. / Keywords: Bohemian immigrants. Hunsrückisch. Immigration languages in Brazil.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1678-3484 - Qualis: História B3 - Planejamento Urbano B5 - Ciências Sociais Aplicadas B4 - Letras B2. Contato: revistaihgrgs@ufrgs.br