Augusto Comte e o Brasil

Margaret Marchiori Bakos

Resumo


Ordem e progresso foram as últimas palavras registradas no testamento do filósofo francês Augusto Comte (1798-1857) ao amigo Pierre Laffite (1823-1903), essa convocação está expressa na bandeira do Brasil, há mais de um século. A frase foi até mesmo parar em música do nosso cancioneiro, o samba Positivismo, como bem assinala o historiador José Murillo de Carvalho. A letra versa, é claro, sobre dor de cotovelo:

“O amor vem por princípio/ E a ordem por base/ O progresso é o fim/ Contrariando esta lei de Augusto Comte,/ Tu fostes ser feliz longe de mim!”

Primogênito dos três filhos de Luis Comte (1776-1859), um funcionário público monarquista e de Felicidade Rosália Boyer (1764-1837), matriarca de um lar católico e conservador, Isidore Auguste Marie François Xavier, nasceu na cidade de Montpellier, destacando-se pela proposição de uma nova área de conhecimento para cuja denominação inventou uma palavra híbrida: sociologia, formada pela mistura do latim (sócio) e do grego (logia). Comte empregou o termo para se referir a uma nova ciência que, como sua frase eternizada na bandeira brasileira, está presente até hoje no mundo ocidental.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1678-3484 - Qualis: História B3 - Planejamento Urbano B5 - Ciências Sociais Aplicadas B4 - Letras B2. Contato: revistaihgrgs@ufrgs.br