68 foi bala: memória da resistência juliana à ditadura

Bárbara Juliana Lauxen Juliana Lauxen, Gabriel Truccolo de Lima, Larissa Grisa, Lucas Porto Azevedo

Resumo


O seguinte projeto surgiu a partir da demanda do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), o qual sugeria o trabalho interdisciplinar entre os subprojetos que o constituem. A partir disso, os subprojetos de História e Português que atuam no Colégio Estadual Júlio de Castilhos, localizado na cidade de Porto Alegre, reuniram-se em torno de um objetivo comum: trabalhar o período da Ditadura Civil Militar no contexto escolar juliano. Entre os objetivos estão resgatar as memórias da instituição através do estudo do período da ditadura, despertar o espírito de aluno “juliano”, desenvolvendo um trabalho de revalorização da escola, e por fim,  a articulação de  atividades de modo interdisciplinar entre as disciplinas de História e Português. Para alcançar tal fim, foi elaborada uma aula conjunta entre as disciplinas envolvidas, tendo como ponto de partida para o desenvolvimento do conteúdo a música E a Revolução de autoria de Nei Lisboa. Após a exposição do conteúdo, os alunos foram convidados a elaborar cartazes, através dos quais poderiam expor suas ideias e/ou reivindicações relativas aos mais variados âmbitos de suas vidas, semelhante aos cartazes produzidos por estudantes da escola no período estudado. As produções dos discentes expressaram seu envolvimento com a atividade, sua capacidade de ler o mundo a sua volta, bem como a percepção dos assuntos que estão em discussão no contexto de sua realidade. Além disso, e talvez a ação mais impactante, foi o convite à aceitação, para cada estudante, de seu reconhecimento enquanto agente histórico, capaz de gerar mudanças assim como fizeram os sujeitos históricos estudados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Porto Alegre

ISSN 2359-5973