Música Negra como Resistência: África, Brasil e Estados Unidos

Gabriel de Lima, Davi dos Santos, Bruno Ribeiro Oliveira

Resumo


Esse artigo detalha o trabalho realizado no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID – sobre música negra africana, afro-brasileira e afro-americana em contextos histórico-sociais de desigualdade, injustiça e resistência em diferentes períodos do século XX. Independências na África colonizada, governo getulista no Brasil pós 1930 e segregação nos Estados Unidos entre 1940 e 1970, respectivamente. A música serve como instrumento de aprendizagem da história. A política, a sociedade, a cultura, os personagens, estes, são todos apresentados e estudados junto das composições e dos ritmos que embalaram uma história de resistência e luta nos mais diversos cantos. O presente artigo não é apenas um estudo histórico da resistência negra através da música, mas também um relato de experiência em sala de aula com estudantes do ensino médio.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Porto Alegre

ISSN 2359-5973