PROCESSOS EDUCACIONAIS E ENSINO DE HISTÓRIA NAS SOCIEDADES ESCOLARES POLONO-BRASILEIRAS NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX: INTERCULTURALIDADE E IDENTIDADE ÉTNICO-CULTURAL

Fabiana Regina da Silva, Jorge Luiz da Cunha

Resumo


O presente trabalho visa tecer reflexões sobre o ensino de história nos processos educacionais escolares étnicos entre polono-brasileiros e a identidade étnico-cultural. Trata de escolas situadas nos estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, durante os séculos XIX e XX, definidas a partir de 1896 como Sociedades Escolares, nas quais, as orientações para o ensino eram veiculadas por organizações situadas tanto no Brasil, quanto, na Polônia. Tornam-se comuns as práticas de civismo, culto à bandeira e nominar escolas e sociedades se reportando a heróis poloneses - atividades que fortalecem definições culturais significadas a partir de uma representação do passado como história, a construção de uma memória histórica – constituída nas relações de comunicação interculturais dadas nos espaços sociais, e, na luta por poder (JORN RUSEN, 2008, 2014). A temática do artigo é relevante, quando trata de dimensões como empoderamento, cultura, identidade étnica e diferença, articuladas ao ensino de história.


Palavras-chave


Escolas étnicas, Polono-Brasileiros, Ensino de História, Identidade, Cultura.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIl. Decreto Lei no. 406, de 04 de maio de 1938. Dispõe sobre a entrada de estrangeiros em território nacional. Coleção de Decretos de 1931 a 1945.

BURKE, Peter (Org.). A escrita da história – novas perspectivas. São Paulo: Ed. Unesp, 1992.

____________ A Escola dos Annales (1929-1989): a Revolução Francesa da Historiografia. Ed. Unesp, 1997.

CASTELLS, Manuel. Paraísos comunais: identidade e significado na sociedade em rede. In: CASTELLS, M. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 2002. p. 21- 48. v. II.

CHARTIER, Roger. A História Cultural, entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1982.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. MOTTA, Manoel Barros da (Org.). Tradução de Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000. v. 2.

GARDOLINSKI, Edmundo. Escolas da Colonização Polonesa no Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes; Caxias do Sul, Universidade de Caxias do Sul, 1976. 138p.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomás Tadeu da Silva, Guacira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2009.

KREUTZ, Lúcio. Imigrantes e projeto de escola pública no Brasil: diferenças e tensões culturais. In: Sociedade Brasileira de História da Educação (Org.) Educação no Brasil: história e historiografia. Coleção Memória da educação. Campinas, São Paulo: Autores Associados/SBHE, 2001, p. 119-144.

KREUTZ, Lúcio. Escolas étnicas no Brasil e a formação do estado nacional: a nacionalização compulsória das escolas dos imigrantes (1937-1945). Poiésis – Revista do Programa de Pós-Graduação, Universidade do Sul de Santa Catarina. Tubarão, v. 3, n. 5, p. 71 – 84 jan./jun. 2010. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/article/viewFile/527/527. Acesso em: 20 set. 2015.

LUPORINI, Teresa Jussara. Educação Polonesa: os fundamentos da Educação Escolar étnica Revisitados. In: IX SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS “HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL”, 2012, João Pessoa. Anais Eletrônicos, João Pessoa: UFP, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2014.

MALIKOSKI, Adriano. Escolas Étnicas de Imigrantes Poloneses no Rio Grande do Sul (1875-1939). 2014. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Caxias do Sul, Programa de Pós-Graduação em Educação, Caxias do Sul, RS, 2014.

MEYER, Dagmar. Elisabeth Estermann. Identidades Traduzidas: Cultura e docência teuto-brasileiro-evangélica no Rio Grande do Sul. Santa Cruz do Sul: EDUNISC; São Leopoldo: Editora Sinodal, 2000.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, n. 10, p.7-28, dez. 1993.

POUTIGNAT, Philippe; STREIFF-FENART, Jocelyne. Teorias da Etnicidade. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

RAMBO, A .B. Nacionalidade e cidadania. In Os alemães no Sul do Brasil. Canoas: Ed. ULBRA, 1994.

RÜSEN, Jörn. Razão histórica - Teoria da história: fundamentos da ciência histórica. Trad. Estevão de Rezende Martins. Brasília: UnB, 2001.

____________. Reconstrução do passado - Teoria da história II: os princípios da pesquisa histórica. Trad. Estevão de Rezende Martins. Brasília: UnB, 2007a.

____________. História viva - Teoria da história III: forma e funções do conhecimento histórico. Trad. Estevão de Rezende Martins. Brasília: UnB, 2007b.

RÜSEN, Jörn. Cultura: Universalismo, ou o que mais? Tradução de: KNOLL, Daniel Carlos, In: Revista História & Ensino, Londrina, v. 18, n. 2, p. 281-291, jul./dez. 2012

RÜSEN, Jörn. Cultura Faz Sentido: orientações entre o ontem e o amanhã. Trad.Nélio Schneider. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

SEYFERTH, Giralda. Nacionalismo e identidade étnica: a ideologia germanista e o pertencimento étnico Teuto-Brasileiro numa comunidade no Vale do Itajaí Florianópolis: F.C.C., 1981.

SILVA, Fabiana Regina. A Constituição dos Processos Educacionais: História da Educação em Frederico Westphalen/RS (1917 – 1950). 2014. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria, Programa de Pós-Graduação em Educação, Santa Maria, RS, 2014

SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel; MARTINS, Estevão de Rezende (Org.). Jörn Rüsen e o Ensino de História. Curitiba: Editora da UFPR, 2011.

VEIGA-NETO, Alfredo J. Michael Foucault e educação: há algo de novo sob o sol? In: (Org.). Crítica Pós-Estruturalista e Educação. Porto Alegre: Sulina, 1995, p. 9-56.

WACHOWICZ, Ruy. As escolas da colonização polonesa no Brasil. In: Anais da comunidade Brasileiro-Polonesa. Curitiba: Champagnat, 1970.

WONSOWSKI, João Ladislau. Nos peraus do rio das Antas: núcleo de imigrantes poloneses da ex-colônia Alfredo Chaves (1890). Tradução e notas de Alberto Victor Stawinski. Porto Alegre: EST/UCS, 1976.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Porto Alegre

ISSN 2359-5973