O INVENTÁRIO DO COMENDADOR DOMINGOS FAUSTINO CORREA: PROCESSOS JUDICIAIS COMO FONTE DE PESQUISA E ENSINO

Carmem Burgert Schiavon, Virgilina Edi Gularte dos Santos Fidelis Palma

Resumo


O presente texto consiste na exposição de possibilidades de pesquisa histórica junto aos autos do processo de inventário do Comendador Domingos Faustino Correa, bem como a proposição de atividades de pesquisa e ensino para alunos do ensino fundamental e médio da cidade do Rio Grande/RS. Os arquivos do Poder Judiciário constituem-se em um grande repositório de documentos oriundos das atividades judiciárias, espaço onde figura o interesse social, tanto como fonte de provas ou de história(s). Nesta direção, o processo configura-se como um vasto documentário, que tramitou na justiça do RS por 110 anos: com início no período imperial, em 1873, atravessou os primeiros passos da República e somente em 1984 teve seu deslinde final. Desse modo, por meio dos autos do inventário, pode-se trabalhar com a História em suas mais diversas nuances:  jurídico-administrativa do Estado, demográfica, genealógica, do imaginário, estratificação social, do Direito, da estrutura linguística e história quantitativa. Isto posto, destaca-se que o processo de inventário do referido Comendador trata-se de um documento de valor histórico para o Poder Judiciário e para sociedade como um todo, tanto que recebeu a tutela institucional e o resguardo legal como patrimônio cultural do município do Rio Grande e encontra-se sob a custódia do Centro de Documentação Histórica da Universidade Federal do Rio Grande (CDH-FURG).

Palavras-chave


Processo Judicial, Arquivos, Patrimônio, Ensino e Pesquisa.

Texto completo:

PDF

Referências


BONAVIDES, Paulo e ANDRADE, Paes de. História Constitucional do Brasil. Brasília: Editora da Ordem dos Advogados do Brasil, 2002.

BRASIL, Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. 10ª ed. São Paulo: Verbo Jurídico, 2015.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1998.

Decreto-Lei n. 25 de 30 de novembro de 1937. Disponível em: www.planalto. gov.br. Acessado em 03 de outubro de 2015, às 9h e 15 min.

DIAS, Andreia Castro. A Preservação da Memória Institucional no Âmbito do Poder Judiciário Federal. Revista Autos & Baixas 1.2 (2013). Disponível em: http://revistadigital.jfrs.jus.br/ojs-2.3.8/index.php/revista_autos_e_baixas/article/view/22

FONSECA, Maria Cecília Londres. O Patrimônio em Processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2009.

LEAL, Alessandra. Cultura e Memória: percepções das lembranças re-existentes no tempo. Revista Eletrônica Geo UERJ - Ano, 13, n. 22, v. 2, 2º semestre de 2011 p. 350-361 – ISSN 1981-9021. Disponível em: www.e-publicações.eurj.br. Acessado em: 14 de setembro de 2015, às 16h e 13 min.

LOPES, José Reinaldo de Lima. O Direito na História: Lições Introdutórias. 2.ed. São Paulo: Max Limonad, 2002.

MARCHESAN, Ana Maria Moreira. Revista de Direito Ambiental. Ano 5. São Paulo: RT, 2000.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. 20. ed. São Paulo: Malheiros, 1990.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS 5ª a 8ª série. Ministério da Educação, v. 06. Disponível em: portal do MEC.gov. br. Acessado em: 03 de outubro de 2105, às 9 h e 13 min.

PROCESSO CÍVEL n. 42700, Inventário do Comendador Domingos Faustino Correa, autos principais e traslado, 1ª Vara Cível Rio Grande, RS. Arquivo do Poder Judiciário – Foro do Rio Grande e CDH/FURG.

PROCESSO ADMINISTRATIVO, n. 44786/2/2003, Prefeitura Municipal do Rio Grande Decreto de Tombamento n. 9.253/2006.

REGIMENTO INTERNO do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, TJ/RS, Secretaria das Comissões, Porto Alegre, 2015. Disponível em: www.tj.rs.gov.br. Acessado em: 03 de outubro de 2105, às 10 h.

SCHIAVON, Carmem G. Burgert e SANTOS, Tiago Fonseca dos. Patrimônio, Ambiente e Ensino em Rio Grande: elementos para interpretação e valorização dos bens culturais. Rio Grande: Ed. da Universidade Federal do Rio Grande, 2013.

___________. Educação Patrimonial: Um caminho à discussão sobre a cidadania a partir da História Local. Disponível em: www.revistas.udesc.br. Acessado em 15 de setembro de 2015, às 9 h e 24 min.

TEDESCO, José Eugênio. Os Arquivos Judiciais e o Poder Judiciário do Rio Grande do Sul. Revista Justiça & História, vol. 3, n. 5, 2003, p. 327/334.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora e CAINELLI, Marlene. Ensinar História. 2. ed. São Paulo: Scipione, 2009.

SCHMIDT, Benito Bisso. O Historiador entre o “ofício” e a “profissão”: desafios contemporâneos. Revista História Hoje, Coleção ANPHU, Porto Alegre, v. 2. n. 3. p. 285-301, 2013.

SCHMIDT, Benito Bisso. Conhecimento Histórico e diálogo social. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 34, nº 67, p. 325-345 – 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Porto Alegre

ISSN 2359-5973