REPRESENTAÇÃO DOS POVOS INDÍGENAS E ENSINO DE HISTÓRIA: A HISTÓRIA EM QUADRINHOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZAGEM

Vanessa Carraro Armiliato

Resumo


História em Quadrinhos como linguagem é também uma estratégia de leitura e escrita que podemos utilizar de forma interdisciplinar, estimulando o processo criativo para abordar conceitos importantes e servir de ponto de partida para discussões. O objetivo deste artigo é discutir o emprego e a construção da História em Quadrinhos (HQs) no ensino da História, apontando os pontos fortes e frágeis desta estratégia desenvolvida em sala de aula.  A estratégia partiu do tema Colonização e a Ocupação nas Américas, com a possibilidade de trabalhar a representação dos povos indígenas. Este texto apresenta como pano de fundo a Legislação de 2008, lei 11.645, a qual torna obrigatório o ensino sobre a história e culturas indígenas nos currículos escolares brasileiros. No processo da construção deste texto, o conceito de interdisciplinaridade será amparado em Ivani Fazenda. A pesquisadora Léa das Graças Camargos Anastasiou, fundamenta o conceito de estratégia e, como pontos fortes e frágeis serão apresentadas evidências sobre questões de leitura do texto histórico e o desenvolvimento de uma visão crítica sobre a representação do indígena. 


Palavras-chave


História, Estratégia, Legislação, Interdisciplinaridade, História em Quadrinhos.

Texto completo:

PDF

Referências


ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos; ALVES, Leonir Pessate. Estratégias de ensinagem. In: ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos; ALVES, Leonir Pessate. (Orgs.). Processos de ensinagem na universidade. Pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 3. ed. Joinville: Univille, 2004. p. 67-

BRAGA, José Luiz; CALAZANS, Maria Regina Zamith. Comunicação e educação: questões delicadas na interface. São Paulo: Hacker, 2001.

FAZENDA, Ivani Catarina; Interdisciplinaridade um projeto em parceria. Editora Loyola, 4.ed., São Paulo,1999.

GARCIA, Vera C. G. Fundamentação teórica para as perguntas primárias: O que é Matemática? Porque Ensinar? Como se ensina e como se aprende? Apostila, 2007.

Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Disponível em . Acessado em 10/07/2015.

Lei 11.645, de 10 de Março de 2008, Disponível em . Acessado em 10/07/2015.

NEVES, Iara da Conceição Bitencourt Neves et. alli, (1999). Ler e escrever; Compromisso de todas as áreas. Porto Alegre: UFRGS.

SEFFNER, Fernando. In: NEVES, Iara da Conceição Bitencourt Neves et. alli, (1999) Ler e escrever; Compromisso de todas as áreas. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS.

SEFFNER, Fernando. In: PEREIRA, Nilton Mullet et.alli, (2008) Ler e escrever; Compromisso do Ensino Médio. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS.

SOARES, Magda Becker. Letramento: um tema em três gêneros, 1998. Belo Horizonte: Autêntica.

VERGUEIRO, Waldomiro. Uso das HQs no ensino. In: RAMA, Ângela; VERGUEIRO, Waldomiro (orgs.). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. 3. ed. 3ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2009a, p. 7- 29.

VERGUEIRO, Waldomiro. A linguagem dos quadrinhos uma ―alfabetização‖ necessária. In: RAMA, Ângela; VERGUEIRO, Waldomiro (orgs.). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. 3. ed. 3ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2009a, p. 31- 64.

VERGUEIRO, Waldomiro; RAMOS, Paulo (Orgs.). Quadrinhos na educação: da rejeição à prática. São Paulo: Contexto, 2009c.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Porto Alegre

ISSN 2359-5973