HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E TEORIA QUEER: DIÁLOGOS POSSÍVEIS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

Antoniel dos Santos Gomes Filho, Cícero Edinaldo dos Santos

Resumo


Almejamos contribuir para a formação acadêmica de professores-pesquisadores, apresentando uma nova perspectiva no ensino e aprendizagem em História da Educação, fundamentada a partir das postulações da teoria Queer. Este objetivo nasce a partir das nossas experiências profissionais com a disciplina de História da Educação e poderá servir como um instrumental pedagógico para a formação de professores-pesquisadores nos cursos de pedagogia e Licenciatura em História. Partimos inicialmente de um levantamento bibliográfico, a fim de demonstrar a utilidade do diálogo interdisciplinar, destacando o arranjo de sua configuração e suas possibilidades. Na primeira parte, sintetizamos algumas facetas da História da Educação – vista como domínio epistemológico e disciplina acadêmica – e suas possíveis articulações com a teoria Queer. Na segunda parte, demonstramos como o diálogo entre as mesmas pode ser utilizado no processo de ensino-aprendizagem, por intermédio de uma temática central, que serve como exemplo, a saber: Regulações de Gênero. Consideramos que o diálogo entre a História da Educação e a teoria Queer adentra as margens do passado e do presente, com teor crítico, desnaturalizando a vida individual e social. Mostra-se como uma iniciativa pós-identitária de educar, possível de ser colocada em prática na formação de professores-pesquisadores. Além disso, revela-se promissor na medida em que tenta germinar um novo tipo de prática pedagógica, onde esta não se restringe ao excesso do mesmo, mas na alteridade e aceitação do outro; uma prática pedagógica que não reivindica a explicação única, mas que se reconhece na pluralidade de sentidos, interconexões e processos; uma prática pedagógica que compreende os limites de sua interpretação. O diálogo entre História da Educação e teoria Queer aposta na multiplicação das diferenças que podem subverter os discursos totalizantes e hegemônicos da Ciência e do cotidiano acadêmico. Adverte a importância de contextualizar as formas de agir e reagir, salientando que a agência não é igual em todos os tempos e espaços. Serve para estranhar, desconstruir, os saberes sobre as regulações de gênero e não (re) legitimar padrões e relações vigentes.

Palavras-chave


História, Educação, Teoria Queer, Pesquisa, Ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do ‘sexo’. In: LOURO, Guacira Lopes. Corpo Educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

______. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da identidade. Traduzido por Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2003.

______. Deshacer el Género. Traduzido por Patrícia Soley-Beltran. Barcelona-Buenos Aires-México: Paidós, 2006.

______. Actos Performativos e Constituição de Género. Um ensaio sobre

Fenomenologia e Teoria Feminista. In: MACEDO, Ana Gabriela; RAYNER, Francesca.

Género, Cultura Visual e Performances: Antologia Crítica. Minho-Portugal: Centro de Estudos Humanísticos; Húmus, 2011. (Coleção Antologias – 2).

______. Regulações de gênero. Cadernos Pagu (42). Jan – jun. p. 249 – 274. 2014.

COURTINE, J-J. História e antropologia culturais da deformidade. In: CORBIN, A.; COURTINE, J-J.; VIGARELLO, G. História do corpo: As mutações do olhar: o século XX. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

CRESWELL, John W. Investigação Qualitativa e Projeto de Pesquisa: Escolhendo entre cinco abordagens. São Paulo: Penso Editora LTDA. 2014.

DA SILVA THIESEN, Juares. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 39, p. 545, 2008.

DENZIN, Norman K; LINCOLN, Yvonna S. O Planejamento da Pesquisa Qualitativa: Teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 1: A vontade de saber. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2011.

HALL, S. A identidade Cultural na Pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2006.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria Queer — uma política pós-identitária para a educação.

Revista Estudos Feministas. vol. 9 (2), 2001, p. 541-553.

______. Sexualidades: Lições da Escola. In: MEYER, Elisabeth Estermann; SOARES, Rosângela de Fátima Rodrigues; ZEN, Maria Isabel Habckost; XAVIER, Maria Luísa Merino de Freitas (orgs). Saúde, Sexualidade e Gênero na Educação de Jovens. Porto Alegre: Mediação, 2012.

______. Uma Leitura da História da Educação sob a Perspectiva de Gênero. Proj. História. São Paulo. n 11. nov. 1994. P. 31-43.

______. Gênero e Sexualidade: Pedagogias Contemporâneas. Pro-posições. v. 19. n.56 (2). Mai-ago. 2008. p. 17-23.

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte:

Autêntica Editora/UFPO, 2012.

__________. A Teoria Queer e a Sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias, v. 11, n. 21, p. 150-182, 2009.

MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

PERES, W. S. Travestilidades Nômades: a explosão dos binarismos e a emergência queering. Estudos Feministas, v. 20, n. 2, p. 539-547, 2012.

PRECIADO, B. Multidões queer: notas para uma política dos “anormais”. Estudos Feministas, v. 19, n.1, p. 11-20, 2011.

SALIH, Sara. Judith Butler e a Teoria Queer. Trad. Guacira Lopes Louro. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

SCOTT, Joan W. Gênero: Uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre. v. 20. n. 2. jul – dez. 1995. P. 71-99.

______. Prefácio a Gender and Politics of History. Cadernos Pagu. n.3 Campinas – SP. 1994. p. 11-27.

WEEKS, J. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, G. L. Corpo Educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Porto Alegre

ISSN 2359-5973