Entre flores e espinhos: a construção do professor de História (formação, dialética e perspectivas)

Eduardo Mognon Ferreira, Samuel Vinícius Moreira da Silva

Resumo


O artigo construído a seguir, desencadeia pontos de embate, entre a formação e a prática do Ensino de História em meio à formação e constituição docente. Trabalharemos desde o principio da escolha da profissão, os problemas e as dificuldades da formação, os confrontos encontrados no momento entre a Teoria e a Prática, as mudanças das novas didáticas nunca antes vistas no universo de formação do professor de História e por fim, um caminho para se pensar as práticas educativas e amplas do Ensino de História como ferramenta de incentivo as novas didáticas em sala de aula.


Palavras-chave


Formação, Ensino de História, Perspectiva

Texto completo:

PDF

Referências


CERRI, Fernando Luiz. Fronteiras interdisciplinares no ensino da História. Espaço Plural. Ano X. N. 20. 1º Semestre 2009.

GATTI, A. Bernadete. A Formação dos docentes: O confronto necessário Professor x Academia. Cadernos de Pesquisa, n. 81, maio 1992.

KARNAL, Leandro. Da Acrópole à Ágora. In: Ensino de História. Formação de Professores e Cotidiano Escolar. EST, Porto Alegre, 2002. 15-26.

NOSELLA, Paolo A. A modernidade da produção e da escola no Brasil; o estigma da relação escravocrata. Cadernos ANPED, Porto Alegre, n. 5, 157-185, 1993.

PEREIRA, Júlio Emílio Diniz: ZEICHNER, M. Kennedy. As licenciaturas e as novas políticas educacionais para a formação docente. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 125, p. 63-80, maio/ago. 2005

PEREIRA, Júlio Emílio Diniz. As licenciaturas e as novas políticas educacionais para a formação docente. In: Educação & Sociedade, ano XX, nº 68, Dezembro/99, p. 112

PIMENTA, S. Garrido: LIBANEO, J. Carlos. Formação de profissionais da educação:Visão crítica e perspectiva de mudança. Educação & Sociedade, ano XX, nº 68, Campinas, Dez. 1999.

SEVERINO, A. J. Educação, Ideologia e Contra-Ideologia. Pedagógica Universal (EPU), São Paulo, 1986.

SAVIANI, D. Análise Crítica da Organização Escolar Brasileira Através Leis nº 5.540/68 e 5.692/71. Autores associados, Campinas, 2004.

Carta Capital. Edição Dez. 2014.

Figura1:http://www.cartacapital.com.br/blogs/parlatorio/prefeitura-do-rio-retrata-escola-como-linha-de-producao-7482.html

Acesso em: 02/03/2015.

BRZEZINSKI, Iria: GARRIDO, Elsa. Análise dos trabalhos do GT Formação de

Professores: o que revelam as pesquisas do período 1992-1998. Análise dos trabalhos do GT Formação de Professores. Set, Out, Nov, Dez. 2001.

NOVOA, Antonio. Formação de professores e profissão docente. 1º Congresso Nacional da Formação Contínua de Professores. Aveiro, 1991.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do Lhiste – Laboratório de Ensino de História e Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Porto Alegre

ISSN 2359-5973