Desafios da predição algorítmica na tutela jurídica dos contratos eletrônicos de consumo

José Luiz de Moura Faleiros Júnior, Arthur Pinheiro Basan

Resumo


O presente trabalho visa verificar a utilização, por empresas que exploram atividades de comércio eletrônico, das práticas de geopricing e de geoblocking, demonstrando como essas práticas de mercado violam os direitos dos consumidores. Para tanto, será analisado o caso concreto em que o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do Ministério da Justiça, condenou a empresa “Decolar.com” ao pagamento de multa por diferenciação de preço de acomodações e negativa de oferta de vagas, de acordo com a localização geográfica do consumidor que utilizava a plataforma para a pesquisa. Trabalha-se com a hipótese de que a incidência da nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (Lei 13.709/2018), em especial com relação aos metaparâmetros dos arts 46 a 51, dá indícios de se tornar ferramenta efetiva para a prevenção de ilícitos e, consequentemente, para a promoção da tutela dos ciberconsumidores. A pesquisa utilizará o método de abordagem indutivo, investigando os fatos ocorridos no caso da empresa “Decolar.com” para evidenciar a problemática da tecnologia sobre o Direito. Além disso, o trabalho promoverá a análise bibliográfico-doutrinária para, logo em seguida, apresentar as considerações finais, das quais se procurará extrair uma compreensão mais assertiva quanto à problemática explicitada.


Palavras-chave


Geopricing; Geoblocking; Práticas abusivas; Comércio eletrônico; Dados pessoais

Texto completo:

PDF

Referências


ARIELY, Dan; LOEWENSTEIN, George; PRELEC, Drazen. Coherent arbitrariness: stable demand curves without stable preferences. Quarterly Journal of Economics, Oxford, v. 118, n. 1, p. 73-106, fev. 2003.

BARBOSA, Fernanda Nunes. O dano informativo do consumidor na era digital: uma aborda-gem a partir do reconhecimento do direito do consumidor como direito humano. Revista de Direito do Consumidor, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 122, p. 203-232, mar/abr. 2019.

BAUMAN, Zygmunt; LYON, David. Vigilância líquida. Tradução de Carlos Alberto Medei-ros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

BENJAMIN, Antonio Herman V.; MARQUES, Claudia Lima; BESSA, Leonardo Roscoe. Manual de direito do consumidor. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2016.

BIONI, Bruno Ricardo. Proteção de dados pessoais: a função e os limites do consentimento. Rio de Janeiro. Forense, 2019.

BIONI, Bruno Ricardo; MENDES, Laura Schertel. Regulamento Europeu de Proteção de Dados Pessoais e a Lei Geral brasileira de Proteção de Dados: mapeando convergências na direção de um nível de equivalência. In: TEPEDINO, Gustavo; FRAZÃO, Ana; OLIVA, Milena Donato (Coords.). Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais e suas repercussões no direito brasileiro. São: Paulo: Revista dos Tribunais, 2019.

BRASIL. Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990. Código de Defesa do. Consumidor. Dis-põe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8078.htm. Acesso em: 16 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 8.137, de 27 de dezembro de 1990. Define crimes contra a ordem tributária, econômica e contra as relações de consumo, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8137.htm. Acesso em: 16 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018. Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2018/Lei/L13709.htm. Acesso em: 08 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Decolar.com é multada por prática de geo pricing e geo blocking. Disponível em: https://www.justica.gov.br/news/collective-nitf-content-51. Acesso em 11 jul. 2019.

BRASIL. Secretaria Nacional do Consumidor. Departamento Nacional de Proteção e Defesa do Consumidor. Despacho nº 299/2018. Decisão de Aplicação de Sanção Administrativa. Processo nº 08012.002116/2016-21. Representada: Decolar.com Ltda. DOU. Diário Oficial da União. Publicado no DOU de 18 de junho 06 de 2018.

BUCKLAND, Michael. Information and society. Cambridge: The MIT Press, 2017.

CANARIS, Claus-Wilhelm. Direitos fundamentais e direito privado. Tradução de Ingo Wolf-gang Sarlet e Paulo Mota Pinto. Coimba: Almedina, 2003.

CASTRO, Catarina Sarmento e. Direito da informática, privacidade e dados pessoais. Coim-bra: Almedina, 2005.

CAVOUKIAN, Ann; CASTRO, Daniel. Big Data and innovation, setting the record straight: de-identification does work. The Information Technology & Innovation Foundation, Ontario, p. 1-18, jun. 2014.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

COSTA, Daiane. Decolar recebe pedido de reparação de R$ 57 milhões por cobrar mais de brasileiros. O Globo. 08 fev. 2018. Disponível em: https://oglobo.globo.com/economia/decolar-recebe-pedido-de-reparacao-de-57-milhoes-por-cobrar-mais-de-brasileiros-22367398. Acesso em: 04 ago. 2019.

DE LUCCA, Newton. A proteção dos consumidores no âmbito da internet. In: LIMA, Cíntia Rosa Pereira de; NUNES, Lydia Neves Bastos Telles (Coords.). Estudos avançados de direito digital. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

DE LUCCA, Newton. Direito do consumidor: aspectos práticos – perguntas e respostas. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1995.

DIAS, Daniel; NOGUEIRA, Rafaela; QUIRINO, Carina de Castro. Vedação à discriminação de preços sem justa causa: uma interpretação constitucional e útil do art. 39, X, do CDC. Re-vista de Direito do Consumidor, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 121, p. 51-97, jan./fev. 2019.

DRESCH, Rafael de Freitas Valle. Fundamentos da responsabilidade civil pelo fato do produ-to e do serviço: um debate jurídico-filosófico entre o formalismo e o funcionalismo no direito privado. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009.

DUQUE, Marcelo Schenk. Direito privado e constituição: drittwirkung dos direitos funda-mentais, construção de um modelo de convergência à luz dos contratos de consumo. São Pau-lo: Revista dos Tribunais, 2013.

GARCIA, Leonardo de Medeiros. Código de Defesa do Consumidor comentado artigo por artigo. Salvador: Juspodivm, 2019.

GRAU. Eros Roberto. Interpretando o Código de Defesa do Consumidor. Revista de Direito do Consumidor, São Paulo: Revista dos Tribunais, v. 5, jan./mar. 1993.

HUNT, Lynn. A invenção dos direitos humanos: uma história. Tradução de Rosaura Eichen-berg. São Paulo: Cia. das Letras, 2009.

JACKMAN, David. The compliance revolution: how compliance needs to change to survive. Nova Jersey: John Wiley & Sons, 2015.

KLEE, Antonia Espíndola Longoni. Comércio eletrônico. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

LIMBERGER, Têmis. Direito e informática: o desafio de proteger os direitos do cidadão. In: SARLET, Ingo Wolfgang (Org.). Direitos fundamentais, informática e comunicação: algumas aproximações. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.

LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A cultura-mundo: resposta a uma sociedade desorien-tada. Tradução de Maria Lúcia Machado. São Paulo: Cia. das Letras, 2011.

LORENZETTI, Ricardo Luís. Comércio eletrônico. Tradução de Fabiano Menke. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004.

MARQUES, Cláudia Lima. Confiança no comércio eletrônico e a proteção do consumidor. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004.

MARQUES, Claudia Lima. Contratos no Código de Defesa do Consumidor. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2016.

MARTINS, Guilherme Magalhães. Responsabilidade civil por acidente de consumo na Inter-net. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

MAYER-SCHÖNBERGER, Viktor; RAMGE, Thomas. Reinventing capitalism in the age of Big Data. Nova Iorque: Basic Books, 2018.

MIOZZO, Júlia. Decolar é multada em R$ 7,5 milhões por práticas abusivas contra consumi-dor. InfoMoney. 18 jun. 2018. Disponível em: https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/turismo/noticia/7479979/decolar-multada-milhoes-por-praticas-abusivas-contra-consumidor. Acesso em: 12 jul. 2019.

MIRAGEM, Bruno. Função social do contrato, boa-fé e bons costumes: nova crise dos contra-tos e a reconstrução da autonomia negocial pela concretização das cláusulas gerais. In: MAR-QUES, Claudia Lima (Org.). A nova crise do contrato. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

MODENESI, Pedro. Contratos eletrônicos de consumo: aspectos doutrinário, legislativo e jurisprudencial. In: MARTINS, Guilherme Magalhães; LONGHI, João Victor Rozatti (Co-ords.). Direito digital: direito privado e Internet. 2. ed. Indaiatuba: Foco, 2019.

MORAES, Maria Celina Bodin de. Na medida da pessoa humana: estudos de direito civil-constitucional. Rio de Janeiro: Renovar, 2016.

NARAYANAN, Arvind; SHMATIKOV, Vitaly. Myths and fallacies of personally identifia-ble information. Communications of the ACM, Austin, v. 53, n. 6, p. 24-26, jun. 2010.

NISSENBAUM, Helen. Privacy in context: technology, policy, and the integrity of social life. Stanford: Stanford University Press, 2010.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Assembleia Geral das Nações Unidas. Decla-ração Universal dos Direitos Humanos. Paris. 10 dez. 1948. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2018/10/DUDH.pdf. Acesso em: 15 jul. 2019.

PÉREZ LUÑO, Antonio Enrique. Manual de informática e derecho. Barcelona: Ariel, 1996.

PINHEIRO, Patrícia Peck. Proteção de dados pessoais: comentários à Lei n. 13.709/18 (LGPD). São Paulo: Saraiva, 2018.

RECASÉNS SICHES, Luis. Filosofia del derecho. México: Porrúa, 2008.

RIBEIRO, Luci. Decolar é multada em R$ 7,5 milhões por práticas abusivas. Estadão. 18 jun. 2018. Disponível em: https://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,decolar-e-multada-em-r-7-5-milhoes-por-praticas-abusivas,70002354803. Acesso em 11 de jul. de 2019.

ROSENVALD, Nelson; OLIVEIRA, Fabrício de Souza. O ilícito na governança dos grupos de sociedades. Salvador: Juspodivm, 2019.

SANDEL, Michael J. O que o dinheiro não compra: os limites morais do mercado. Tradução de Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

SANTOLIM, Cesar Viterbo Matos. Os princípios de proteção do consumidor e o comércio eletrônico no direito brasileiro. Revista de Direito do Consumidor, São Paulo: Revista dos Tri-bunais, v. 14, n. 55, p. 53-84, jul./set. 2005.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais: uma teoria geral dos direitos fundamentais na perspectiva constitucional. 10. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2010.

SILVA, Jorge Pereira da. Deveres do Estado de protecção de direitos fundamentais: funda-mentação e estrutura das relações jusfundamentais triangulares. 3. ed. Lisboa: Universidade Católica Editora, 2015.

SIMÃO FILHO, Adalberto. Dano ao consumidor por invasão do site ou da rede. In: DE LUCCA, Newton; SIMÃO FILHO, Adalberto (Coords.). Direito & Internet: aspectos jurídi-cos relevantes. São Paulo: Edipro, 2001.

THALER, Richard H. Mental accounting matters. Journal of Behavioral Decision Making, Nova Jersey, v. 12, n. 3, p 183-206, jul. 1999.

VAN BOOM, Willem H. Price intransparency, consumer decision making and European Con-sumer Law. Journal of Consumer Policy, Cham: Springer, v. 34, p. 359-376, 2011.

VENTURA, Ivan. Decolar.com é multada em R$ 7,5 milhões por desrespeito ao consumidor. Consumidor Moderno. 18 jun. 2018. Disponível em: https://www.consumidormoderno.com.br/2018/06/18/decolar-multada-milhoes-desrespeito-consumidor/. Acesso em: 11. jul 2019.

WEINRIB, Ernest J. The disintegration of duty. In: MADDEN, M. Stuart (Ed.). Exploring tort law. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

WERTHEIN, Jorge. A sociedade da informação e seus desafios. Ciência da Informação, Bra-sília, v. 29, n. 2, p. 71-77, mai./ago. 2000.

WINEGAR, Angela G.; SUNSTEIN, Cass R. How much is data privacy worth? A prelimi-nary investigation. Journal of Consumer Policy, Cham: Springer, v. 42, p. 1-16, 2019.

ZARREHPARVAR, Mandana. A nondiscriminatory information society. In: JØRGENSEN, Rikke Frank (Ed.). Human rights in the global information society. Cambridge: The MIT Press, 2006.




DOI: https://doi.org/10.22456/0104-6594.95264

Apontamentos

  • Não há apontamentos.