Vídeos agregam valor ao trabalho do professor de ciências da saúde

Maria Isabel Timm, Adriana Bos-Mikich, Roberto Thaddeu, Ana Maria Ponzio de Azevedo, Paulo Augusto Cabral Jr.

Resumo


O trabalho apresenta exemplos de vídeos produzidos para o ensino médico. Justifica o uso de vídeos nesta área para apoiar a visualização de fenômenos cuja observação in loco depende de situações não reprodutíveis - como cirurgias ou dissecações - ou exigem alta capacidade de abstração dos alunos, no caso de fenômenos microscópicos, químicos, ou moleculares. Defende que os vídeos não induzem à passividade dos alunos,, se forem produzidos de forma criativa e coerente, explorando os recursos da linguagem de vídeo associados ao potencial da tecnologia digital. Os exemplos também apresentam recursos de produção e edição, salientando-se a intenção didática ou pedagógica que gerou a escolha por um ou outro recurso. Sugere que vídeos educacionais contribuem para a aprendizagem dos alunos e agregam valor ao trabalho do professor, porque apóiam a
representação e a exposição do conhecimento e podem constituir objeto de estudo, pesquisa e profissionalização de equipes de produção, em todas as instituições que pretendem
atualizar sua base tecnológica, segundo necessidades impostas pelo Séc. XXI.


Palavras-chave


vídeos educacionais, ensino médico, ensino de ciência e tecnologia, tecnologia educacional

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1679-1916.14679

Direitos autorais



RENOTE - Revista Novas Tecnologias na Educação      ISSN 1679-1916

A RENOTE, possui a nota Qualis B1 (Ensino) e B1 (Interdisciplinar) no Sistema de Avaliação da CAPES.

Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação (CINTED) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Avenida Paulo Gama, 110 - Anexo III – 3o andar
Porto Alegre, RS, Brasil – CEP: 90040-060

Telefone: (51) 3308-4100
E-mail: renote@cinted.ufrgs.br