O debate sobre federalismo na ANPAE (2007-2018)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol36n22020.99446

Palavras-chave:

Federalismo, Políticas educacionais, Produções acadêmicas, ANPAE.

Resumo

O artigo analisa o debate sobre federalismo nas produções da ANPAE (2007 e 2018). A política educacional é compreendida como um campo que tem suas próprias normas, valores, interesses, instituições. O software Iramuteq é utilizado como ferramenta para processar o corpus textual. A categorização temática (BARDIN, 2011) identificou os tipos de pesquisa, as metodologias e teorias empregadas nos trabalhos. Concluímos que as produções acadêmicas no âmbito da ANPAE sinalizam disputas em torno do direito à educação e a importância da apropriação do federalismo como princípio da pactuação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliza Bartolozzi Ferreira, UFES

Professora Associada do Departamento de Educação, Política e Sociedade do Centro de Educação da Universidade Federal do Espírito Santo. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (mestrado e doutorado). É historiadora e doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atua na área de política e gestão educacional.

Andreza Alves Ferreira, Doutoranda PPGE/UFES Professora IFES

Doutoranda do PPGE/UFES e Professora de sociologia d IFES.

Referências

ABRUCIO, F. L.; SANO, H. Associativismo intergovernamental: experiências brasileiras. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão – MPOG. Editora IABS, Brasília-DF, 2013.

AFFONSO, R; SILVA, P.. A federação em perspectiva. São Paulo: Fundap, 1995. p. 54-60.

alternativas. Buenos Aires: Miño y Dávila Editores, 1989.

ARAÚJO, G. C. Federalismo Cooperativo e Educação no Brasil: 30 anos de omissões e ambivalências. Educ. & Soc., Campinas, v. 39, nº. 145, p.908-927, out.-dez., 2018.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições, 2011.

BEDNAR, J. The political science of federalism. Annual Review of Law and Social Science, v. 7, p. 269-288, 2011.

BOAVENTURA, E. M. Os Sistemas Municipais de Educação. RBE, V. 9, N. 2, 1993, p 49-68.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. Tradução de Denice Barbara Catani. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

BURGESS, M. Comparative Federalism: theory and practice. London and New Yourk: Routledge, 2006.

FERREIRA, E. B. Federalismo e planejamento educacional no exercício do PAR. Cadernos de Pesquisa, v. 44, n. 153, p. 602-623, 2014.

GÓMEZ CAMPO, V. M.; TENTI FANFANI, E. Universidad y profesiones: crisis y LOTTA, G. Federalismo e políticas públicas: abrangências e convergências temáticas desse campo de estudos no Brasil. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.22, n.3, jul.-set, p.1092-1096. 2015.

OLIVEIRA, R. P.; SANTANA, W. Educação e Federalismo no Brasil: combater as desigualdades, garantir a diversidade. Brasília: UNESCO, 2010.

SANDER, B. Centralização e descentralização na Administração da Educação na América Latina. RBAE, v. 6, n. 1, 1988, p. 53-54.

SAVIANI, D. Sistema Nacional de Educação articulado ao Plano Nacional de Educação. RBE, v. 15 n. 44 maio/ago. 2010.

SOUZA, C. Federalismo: teorias e conceitos revisitados. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, v. 65, p. 27-48, 2008.

STREMEL, S. A constituição do campo acadêmico da política educacional no Brasil. Ponta Grossa. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa. 2016.315f.

Downloads

Publicado

2020-08-19

Como Citar

Ferreira, E. B., & Alves Ferreira, A. (2020). O debate sobre federalismo na ANPAE (2007-2018). Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 36(2), 449–472. https://doi.org/10.21573/vol36n22020.99446