Avaliação externa das escolas em Portugal: atores, conhecimentos, modos de regulação

Luís Miguel Carvalho, Estela Costa

Resumo


O artigo centra-se na construção e reconstrução do modelo de avaliação externa das escolas em Portugal em dois momento - 2006 e 2011 - pondo em evidência continuidades e mudanças relacionadas com os atores e com os conhecimentos mobilizados para a construção dos modelos avaliativos, bem como o fortalecimento da avaliação como dispositivo de regulação das práticas de administração das escolas. O artigo mostra as vicissitudes da ativação de modos de intervenção avaliativos em agências da administração central da educação historicamente constituídas como agências de supervisão e controlo.

Palavras-chave


avaliação das escolas; hibridação; políticas públicas; regulação da educação

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Almerindo J. Do desequilíbrio do pilar da autoavaliação no modelo de avaliação externa: apontamentos. In CNE, Avaliação Externa das Escolas. Lisboa: Conselho Nacional de Educação, 2015, p. 217-224.

AFONSO, Natércio; COSTA, Estela. La politique d'évaluation institutionnel d’écoles au Portugal. Recherches Sociologiques et Anthropologiques, nº 2, p 39-52, 2012.

AFONSO, Natércio; COSTA, Estela. Avaliação externa das escolas: um instrumento de regulação baseado no conhecimento, (155-189). In J. Barroso & N. Afonso (Org.). As políticas educativas em Portugal: mobilização de conhecimento e modos de regulação. Fundação Manuel Leão, 2011.

BRUNSSON, Niels; JACOBSSON, Bengt. The contemporary expansion of standardization. In Brunsson, N., Jacobsson, B. [and associates], A World of Standards (1-17). Oxford: Oxford University Press, 2000.

BARROSO, João. Les nouveaux modes de régulation des politiques éducatives en Europe. In Dutercq, Y. (dir.) Les Régulations des Politiques d’Éducation (151-171). Rennes, Presses Universitaires de Rennes, 2005.

BARROSO, João. Autonomia e Gestão da Escola. Lisboa, Ministério da Educação, 1997.

BARROSO, João; CARVALHO, Luís Miguel; AFONSO, Natércio; FONTOURA, Madalena; COSTA, Estela. The social and cognitive mapping of policy: the education sector in Portugal. Research report, project KnowandPol, Orientation 1, 2008. Disponível em http://www.knowandpol.eu

CARVALHO, Luís Miguel, As políticas públicas de educação sob o prisma da ação pública. Currículo sem Fronteiras, vol. 15, nº 2, 314-333, 2015.

CARVALHO, Luís Miguel; COSTA, Estela; AFONSO, Natércio. Espaces, acteurs et modalités de l’hybridation politique. Spirale – Revue de Recherches en Éducation, nº 51, p. 15-30, 2013.

CNE - Conselho Nacional e Educação. Parecer 3/2010: Parecer sobre Avaliação externa das Escolas (2007-2009). Lisboa: Conselho Nacional de Educação,2010. Disponível em: http:// http://www.cnedu.pt/pt/deliberacoes/pareceres?start=10

FREEMAN, Richard. The work the document does. Journal of Health Politics, Policy and Law, vol 31, nº 1, p. 51-70, 2006.

FREEMAN, Richard; MAYBIN, J. Documents, practices and policy. Evidence & Policy, vol. 7, nº 2, p. 155-70, 2011.

GRAY, Adrian Supporting school improvement: the role of inspectorates across Europe. A report from the Standing International Conference of Inspectorates (SICI). Brussel: SICI, 2014. Disponível em : http:// http://www.sici-inspectorates.eu/Activities/Development-and-Research/Research/The-Role-of-Inspectorates-Across-Europe

GTAEE. Propostas para um novo ciclo de avaliação externa das escolas. Relatório final. Lisboa, Ministério da Educação, 2011.

IGE. Avaliação Externa das Escolas. Referentes e instrumentos de trabalho, Lisboa, Ministério da Educação, 2006.

LASCOUMES, Pierre; LE GALÈS, Patrick. Introduction: understanding public policy through its instruments – from the nature of instruments to the sociology of public policy instrumentation, Governance, vol. 20, nº 1, p.1-21, january 2007.

LASCOUMES, Pierre ; Le GALÈS, Patrick (dir.). Gouverner par les instruments. Paris: Presses de Sciences Po, 2005

LINDBLAD, Sverker; POPKEWITZ, Thomas. Educational restructuring. International perspectives ontravelling policies. Greenwich: Information age publishing, 2004.

LIMA, Licínio C. Elementos de análise organizacional das políticas e práticas de avaliação escolar. In WERLE, Flávia Obino Corrêa (org). Avaliação em larga escala: questões polémicas. Brasília: Liber Livro, 2012, p. 15-38.

MAROY, Christian. Convergences and hybridization of educational policies around 'postbureaucratic' models of regulation. Compare: A Journal of Comparative and International Education, vol. 39, nº 1, p. 71-84, 2009.

OZGA, Jenny; JONES, Robert. Travelling and embedded policy, Journal of Education Policy, vol 21, nº 1, p. 1-17, 2006.

PIETERSE, Jan Nederveen. Globalization as hybridization. In F. Lechner & J. Boli (eds.). The Globalization Reader (99-105). Oxford. Blackwell Publishers Inc, 2000.

POPKEWITZ, Thomas. Globalization/Regionalization, knowledge, and the educational practices, In POPKEWITZ, T.S. (Ed.) Educational Knowledge (3-27). Albany, State University of NYP, 2000.

PORTUGAL, Despacho 4150/2011, de 4 de Março, Lisboa, 2011.

RIZVI, Fazal; LINGARD, Bob. Globalizing Education Policy. London, Routledge, 2009.

ROCHA, Patrícia. Que ruturas e que continuidades: do antigo para o novo ciclo de avaliação externa das escolas. Relatório de estágio. Mestrado em Ciências da Educação, Administração Educacional, IE-ULisboa, Dezembro de 2012.

SANTIAGO, Paulo; DONALDSON, Graham; LOONEY, Anne; NUSCHE, Deborah.OECD Reviews of Evaluation and Assessment in Education: Portugal 2012. OECD Publishing, 2012.Disponível em: http://dx.doi.org/10.1787/9789264117020-en

SOUSA, A. (2014) Construções da autoavaliação de escolas. Discursos e sentidos. Tese de Doutoramento. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto.

SYNEVA - Quality Assurance through Synergy of Internal and External Evaluation of Schools. Examples of Interesting Practice of Internal and External Evaluation of Schools, 2006. Disponível em: https://www.openeducationeuropa.eu/en/project/synevanet

SICI (STANDING INTERNATIONAL CONFERENCE OF GENERAL AND CENTRAL INSPECTORATES OF EDUCATION). Effective School Self-Evaluation, 2003.Disponível em: www.edubcn.cat/rcs_gene/extra/05.../plugin-essereport.pdf

STEINER-KHAMSI, Gitta, Understanding policy borrowing and lending, In G. Steiner-Khamsi and F. Waldow (eds.), World Yearbook of Education 2012: Policy Borrowing and Lending in Education, London: Routledge, 2012.

TRISTÃO, E. (2016). A autoavaliação como instrumento das políticas de avaliação externa das escolas. Tese. 2016, 294p. (Doutorado em Educação). Universidade de Lisboa, Lisboa, 2016.

ZANTEN, Agnès van; BALL, Stephen. Comparer pour comprendre: globalisation, reinterpretations nationales et recontextualisations locales, Revue de l’Institut de Sociologie, vol, nº 4, p. 112-131, 2000.




DOI: https://doi.org/10.21573/vol33n32017.79302

INDEXADORES

BBE – Bibliografia Brasileira de Educação (Brasília, MEC/INEP)
CLASE – Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM)
DIADORIM - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras
DOAJ - Directory of Open Access Journals
DRJI - Directory of Research Journals Indexing (Maharashtra, India)
Edubase (SBU/UNICAMP)
LATINDEX - Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
Portal de Periódicos da Capes/MEC
Scielo Educ@ - Fundação Carlos Chagas-FCC, São Paulo/Brasil
Science Library Index - Meadow Springs, Mandurah State, Austrália
SUMÁRIOS.ORG - Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Política e Administração da Educação,
da Associação Brasileira de Política e Administração da Educação
está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/index

ISSN versão impressa: 1678-166X
ISSN versão eletrônica: 2447-4193

Prefixo DOI: 10.21573