O planejamento e as relações federativas no Plano de Ações Articuladas: assimetrias nas ações de formação de professores

Autores

  • Francisca Edilma Braga Soares Aureliano UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
  • Maria Aparecida de Queiroz UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

DOI:

https://doi.org/10.21573/vol32n012016.62668

Palavras-chave:

Formação de professores, Plano de Ações Articuladas, relações federativas.

Resumo

Neste artigo, analisam-se as relações federativas: intergovernamentais, descentralização e regime de colaboração entre a União e o Município de Mossoró/RN, nas ações de formação de professores no PAR (2007-2011). A análise teórica, documental e os dados empíricos emanam de tese inscrita na pesquisa de avaliação do PAR do Observatório da Educação/Capes. Constatam-se aproximações dos entes federados, mantendo-se assimetrias no planejamento e financiamento nas ações, com centralidade na União.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisca Edilma Braga Soares Aureliano, UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

Professora Doutora do Departamento de Educação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Coordenadora Local do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR) do Campus de Patu-RN (CAP/UERN). Pesquisadora vinculada ao Projeto do Observatório da Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN): “Avaliação do Plano de Ações Articuladas (PAR): um estudo em municípios dos estados do Rio Grande do Norte, Pará e Minas Gerais (2007-2012)”. Membro do grupo de pesquisa Políticas e Gestão da Educação do Programa de Pós-Graduação da UFRN.

Maria Aparecida de Queiroz, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

Professora Doutora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, atuante no Programa de Pós-Graduação em Educação. Pesquisadora em política educacional na área da educação do campo e na educação a distância. Pesquisadora do Projeto do Observatório da Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN): “Avaliação do Plano de Ações Articuladas (PAR): um estudo em municípios dos estados do Rio Grande do Norte, Pará e Minas Gerais (2007-2012)”. Membro do grupo de pesquisa Políticas e Gestão da Educação do Programa de Pós-Graduação da UFRN.

Referências

ABRUCIO, Fernando L. A dinâmica federativa da educação brasileira: diagnóstico e propostas de aperfeiçoamento. In: OLIVEIRA, R. P. de; SANTANA, W. Educação e federalismo no Brasil: combater as desigualdades, garantir a diversidade. Brasília: UNESCO, 2010. p. 39-70.

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira de; OZELLA, Sergio. Apreensão dos sentidos: aprimorando a proposta dos núcleos de significação. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, DF, v. 94, n. 236, p. 299-322, jan./abr. 2013.

ARAÚJO, Gilda. C. Constituição, Federação e propostas para o novo plano nacional de educação: análise das propostas de organização nacional da educação brasileira a partir do regime de colaboração. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 112, p. 749-768, jul./set. 2010.

BEISIEGEL, Celso de Rui. O Plano Nacional de Educação. Cadernos de Pesquisa, n.106, p. 217-231, mar. 1999. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cp/n106/n106a10>. Acesso em: 20 set. 2014.

BORDIGNON, Genuíno; QUEIROZ, Arlindo; GOMES, Lêda (colabs.). O Planejamento Educacional no Brasil. In: Fórum Nacional de Educação/Plano Nacional de Educação. Brasília, DF, 2011. Anais... Brasília, 2011. Disponível em: <http://fne.mec.gov.br/images/pdf/planejamento_educacional_brasil.pdf>. Acesso em: 07 ago. 2014.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.005, aprovada em 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 2014. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm>. Acesso em: 21 set. 2014.

BRASIL. O Plano de Desenvolvimento da Educação: razões, princípios e programas. 2008. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ livromiolov4.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2013.

BRASIL. Presidência da República. Decreto n. 6.094, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação e dá outras providências. Brasília, DF: Casa Civil, 2007. Disponível em: . Acesso em: 18 nov. 2011.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Brasília, DF: Senado Federal, 2003.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.172, de 09 de janeiro de 2001. Dispõe do Plano Nacional de Educação. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 2001.

COSTA, Jean M. Araújo; CUNHA, Maria Couto; ARAÚJO, Rosemeire M. B. de. Federalismo cooperativo brasileiro: implicações na gestão da educação municipal. Jornal de Políticas Educacionais, n.8, p. 14-23, jul./dez. 2010.

COSTA, Valeriano M. Ferreira. Federalismo e relações intergovernamentais: implicações para a reforma da educação no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 31, n. 112, p.729-748, jul./set. 2010.

DOURADO, Luiz F. (Org.). Plano Nacional de Educação (2011-2020): avaliação e perspectivas. Goiânia: Editora da UFG; Autêntica, 2011.

DANTAS, Éder da Silva. O PNE 2011-2020: por um novo papel da União quanto ao planejamento da educação básica. In: SOUSA JUNIOR, Luiz de; FRANÇA, Magna; FARIAS, Maria da Salete Barbosa de (Orgs.). Políticas de gestão e práticas educativas: a qualidade do ensino. Brasília: Liber Livro, 2011.

FARENZENA, Nalú; MARCHAND, Patrícia Souza. Relações Intergovernamentais na Educação à luz do conceito de regulação. Cadernos de Pesquisa, Campinas, v. 43, n.150, p. 788-811, set./dez. 2013.

GARCIA, Luciane Terra dos Santos; QUEIROZ, Maria aparecida de. Planejamento e relações de poder: antagonismos na política educacional. Revista Educação em Questão, Natal, v. 43, n. 29, p. 182-207, maio/ago. 2012.

GIRRASOL. Entrevista realizada em 03 de março de 2015. Mossoró, RN, 2015.

HORTA, Julieta S. Baia. Liberalismo, tecnocracia e planejamento educacional no Brasil. São Paulo: Cortez, 1982.

MARX, Karl. A contribuição à crítica da economia política. 4 .ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011. (Clássicos WMF).

MATUS, Carlos. Estado, processos decisórios e planejamento na América Latina. In: HADDAD, Paulo Roberto; EDLER, Paulo Soares (orgs.). Seminário Estado e Planejamento: os sonhos e a realidade. Brasília: IPEA; CENDEC, 1988. p. 101-135.

MÉNDEZ, J. L. Estudio Introductorio. In: WRIGHT, D. S. Para entender las relaciones intergubernamentales. México: Fondo de Cultura Económica, 1997, p. 21-49.

MOSSORÓ (RN). Prefeitura Municipal. Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação: Plano de Ações Articuladas-PAR. Mossoró, RN, abr. 2007.

MOSSORÓ (RN). Prefeitura Municipal. Plano Estratégico da Rede Municipal de Ensino. Mossoró: PMM; SMC; GEED, 2009. 18 p.

UNESCO, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: Plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, Tailândia, 1990. Disponível em: <http://www.educacaoonline.pro.br/doc_declaracao_mundial_ sobre_educacao_para_todos.asp?f_id_artigo=2)>. Acesso em: 27 nov. 2013.

SAVIANI, Dermeval. O Plano de Desenvolvimento da Educação: análise do projeto do MEC. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, ed. esp., p. 1231-1255, out. 2007. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>. Acesso em: 24 out. 2012.

VIEIRA, Sofia Lerche; ALBUQUERQUE, Maria Gláucia Menezes. Política e planejamento educacional. 3.ed. rev. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.

Downloads

Publicado

2016-06-23

Como Citar

Aureliano, F. E. B. S., & Queiroz, M. A. de. (2016). O planejamento e as relações federativas no Plano de Ações Articuladas: assimetrias nas ações de formação de professores. Revista Brasileira De Política E Administração Da Educação, 32(1), 111–129. https://doi.org/10.21573/vol32n012016.62668