Educação no Contexto Amazônico: Capacidades, Relações Intraorganizacionais e os Reflexos na Gestão Educacional

Lucas Pereira da Silva, Ritiele de Jesus Rodrigues, Carla Raiana Silva Paula, Raykele Sena Ribeiro, Marco Aurélio dos Santos, Léo César Parente de Almeida

Resumo


O presente estudo visa analisar as relações intraorganizacionais de uma organização pública do contexto amazônico. Para tanto, realizou-se entrevistas com diferentes atores para subsidiar as discussões. As entrevistas foram analisadas seguindo os princípios da Análise de Conteúdo. Os resultados mostraram que o capital humano, as crenças, o relacionamento, o designer organizacional entre outros impactam na coordenação e no desempenho das ações organizacionais. Constata-se que para mitigar os fatores negativos são necessárias mudanças no sistema de coordenação, no delineamento organizacional,  na estrutura de autoridade, de responsabilidade e de especialização dos atores internos.


Palavras-chave


Administração Pública, Contexto da Educação, Capacidades Organizacionais, Administração da Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ACEMOGLU, D. Politics and economics in weak and strong states. Journal of Monetary Economics, v. 52, n. 7, p. 1199–1226, 1 out. 2005.

ACEMOGLU, D. Oligarchic Versus Democratic Societies. Journal of the European Economic Association, v. 6, p. 1–44, 2008.

ANNE, T. The dilemmas of organisational capacity. Policy and Society, v. 34, n. 3–4, p. 209–217, 3 set. 2015.

ATLAS. Consulta | Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 4 jan. 2019.

BACHRACH, P.; BARATZ, M. S. Duas faces do poder. Revista de Sociologia e Política, v. 19, n. 40, p. 149, 2011.

BECKER, B. K. O uso político do território: questões a partir de uma visão do terceiro mundo. In: BECKER, B. K.; COSTA, R. H. DA.; SILVEIRA, C. B. (Eds.). . Abordagens políticas da espacialidade. Rio de Janeiro: UFRJ, 1983.

BRANDÃO, C. Desenvolvimento, Territórios e Escalas Espaciais: levar na devida conta as contribuições da economia política e da geografia crítica para construir a abordagem interdisciplinar. In: RIBEIRO, M. T. F.; MILANI, C. R. S. (Eds.). Compreendendo a complexidade sócioespacial contemporânea: o território como categoria de diálogo interdisciplinar. Salvador: Editora da UFBA, 2008.

BRICKSON, S. L. Organizational identity orientation: The genesis of the role of the firm and distinct forms of social value. Academy of Management Review, v. 32, n. 3, p. 864–888, jul. 2007.

CAMARGO, B. V.; JUSTO, A. M. IRAMUTEQ: Um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, v. 21, n. 2, p. 513–518, 2013.

CARBONE, P. P. Cultura organizacional do setor público brasileiro: desenvolvendo uma metodologia de gerenciamento da cultura. Revista de Administração Pública, v. 34, n. 2, p. 1–5, 2000.

CASCIARO, T.; LOBO, M. S. Affective Primacy in Intraorganizational Task Networks. Organization Science, v. 26, n. 2, p. 373–389, abr. 2015.

CASTRO, I. E. DE. Instituições e território. Possibilidades e limites ao exercício da cidadania. Geosul, v. 18, n. 36, p. 7–28, 1 jan. 2003.

CUNHA, M. P. Estrutura organizacional : dimensoes, determinantes e formatos. In: CUNHA, M. P. (Ed.). . Teoria organizacional : perspectivas e prospectivas. Lisboa: Dom Quixote, 1999. p. 251–279.

DIMAGGIO, P.; POWELL, W. The Iron Cage Revisited: Institutional Isomorphism and Collective Rationality in Organizational Fields. American Sociological Review, v. 48, n. 2, p. 147–160, 1983.

EMIRBAYER, M.; JOHNSON, V. Bourdieu and organizational analysis. Theory and Society, v. 37, n. 1, p. 1–44, 9 fev. 2008.

EVANS, P. Embedded autonomy : states and industrial transformation. New Jerse: Princeton University Press, 1995.

EVANS, P.; RAUCH, J. E. Bureaucracy and Growth: A Cross-National Analysis of the Effects of “Weberian” State Structures on Economic Growth. American Sociological Review, v. 64, n. 5, p. 748, out. 1999.

FAPESPA. Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Estudos e Pesquisa. Anuário Estatístico. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2019.

FAZION, C. B.; JUNQUEIRA, L. A. P. As dinâmicas intraorganizacionais em um serviço de Saúde e Educação: Análise de Redes Sociais. Revista Gestão & Tecnologia, v. 19, n. 4, p. 165–187, 30 set. 2019.

FIRJAN. Federação da Indústria do Rio de Janeiro. Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal. Disponível em: . Acesso em: 4 jan. 2019.

FREITAS, M. E. DE. Cultura organizacional: identidade, sedução e carisma? Editora FGV. São Paulo. 1999.

FUKUYAMA, F. What Is Governance? Governance, v. 26, n. 3, p. 347–368, jul. 2013.

GAO, D.; SQUAZZONI, F.; DENG, X. The Intertwining Impact of Intraorganizational and Routine Networks on Routine Replication Dynamics: An Agent-Based Model. Complexity, v. 2018, p. 1–23, 11 nov. 2018.

GRISA, G. D.; ZITKOSKI, J. J. Aportes para análise das políticas de ações afirmativas na UFRGS. Linhas Críticas, v. 23, n. 50, p. 70–87, 31 dez. 2017.

HOWLETT, M.; RAMESH, M. Achilles’ heels of governance: Critical capacity deficits and their role in governance failures. Regulation and Governance, v. 10, n. 4, p. 301–313, 1 dez. 2016.

IBGE. IBGE | Brasil em Síntese | Pará | Alenquer | Panorama. Disponível em: . Acesso em: 5 out. 2018.

JONES, G. R. Teoria das organizações. São Paulo: Pearson, 2010.

LEE, S.; LEE, C. Creative Interaction and Multiplexity in Intraorganizational Networks. Management Communication Quarterly, v. 29, n. 1, p. 56–83, 6 fev. 2015.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. DA. Estruturação da estrutura organizacional: o caso de uma empresa familiar. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. spe, p. 11–32, 2010.

MANN, M. The autonomous power of the state: its origins, mechanisms and results. European Journal of Sociology, v. 25, n. 02, p. 185, 28 nov. 1984.

MOTTA, P. R. A modernização da administração pública brasileira nos últimos 40 anos. Revista de Administração Pública - RAP, v. 41, n. spe, p. 87–96, 2007.

NORTH, D. C. Institutions, Institutional Change and Economic Performance. 1. ed. cambridge: Cambridge University Press, 1990.

OLIVEIRA, D. DE P. R. DE. Sistemas, organização e métodos : uma abordagem gerencial. São Paulo: Atlas, 2006.

PARUCHURI, S. Intraorganizational Networks, Interorganizational Networks, and the Impact of Central Inventors: A Longitudinal Study of Pharmaceutical Firms. Organization Science, v. 21, n. 1, p. 63–80, fev. 2010.

PATTYN, V.; BRANS, M. Organisational analytical capacity: Policy evaluation in Belgium. Policy and Society, v. 34, n. 3–4, p. 183–196, 3 set. 2015.

PETERS, B. G. Policy capacity in public administration. Policy and Society, v. 34, n. 3–4, p. 219–228, 3 set. 2015.

PETERS, B. G. The Politics of Bureaucracy. Seventh Edition. | New York : Routledge, 2018.: Routledge, 2018.

PINHEIRO, E. V.; CONTI, C. L. A. Participação e conflitos na gestão de escola transformada em comunidades de aprendizagem. Linhas Críticas, v. 23, n. 50, p. 131–150, 31 dez. 2017.

RATINAUD, P. IRAMUTEQ: Interface de R pour les Analyses Multidimensionnelles de Textes et de Questionnaires. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2017.

SANTOS, L. G. A. DOS; ROSSONI, L.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Condicionantes estruturais dos relacionamentos intraorganizacionais: uma análise da influência sobre relações de comunicação e decisão. RAM. Revista de Administração Mackenzie, v. 12, n. 1, p. 139–168, fev. 2011.

TSAI, W. Knowledge Transfer in Intraorganizational Networks: Effects of Network Position and Absorptive Capacity on Business Unit Innovation and Performance. Academy of Management Journal, v. 44, n. 5, p. 996–1004, 30 out. 2001.

TSAI, W. Social Structure of “Coopetition” Within a Multiunit Organization: Coordination, Competition, and Intraorganizational Knowledge Sharing. Organization Science, v. 13, n. 2, p. 179–190, abr. 2002.

VASCONCELLOS, E.; HEMSLEY, J. R. Estrutura das organizações: estruturas tradicionais, estruturas para a inovação, estrutura matricial. 2 edição ed. Rio de Janeiro: Pioneira Thomson Learning, 1997.

WILLIAMSON, O. E. The Mechanisms of Governance. New York: Oxford. University Press. 1996.

WOO, J. J.; RAMESH, M.; HOWLETT, M. Legitimation capacity: System-level resources and political skills in public policy. Policy and Society, v. 34, n. 3–4, p. 271–283, 3 set. 2015.

WU, X.; RAMESH, M.; HOWLETT, M. Policy capacity: A conceptual framework for understanding policy competences and capabilities. Policy and Society, v. 34, n. 3–4, p. 165–171, 3 set. 2015.




DOI: https://doi.org/10.21573/vol37n12021.108606

INDEXADORES

BBE – Bibliografia Brasileira de Educação (Brasília, MEC/INEP)
CLASE – Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM)
DIADORIM - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras
DOAJ - Directory of Open Access Journals
DRJI - Directory of Research Journals Indexing (Maharashtra, India)
Edubase (SBU/UNICAMP)
LATINDEX - Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
Portal de Periódicos da Capes/MEC
Scielo Educ@ - Fundação Carlos Chagas-FCC, São Paulo/Brasil
Science Library Index - Meadow Springs, Mandurah State, Austrália
SUMÁRIOS.ORG - Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Política e Administração da Educação,
da Associação Brasileira de Política e Administração da Educação
está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/index

ISSN versão impressa: 1678-166X
ISSN versão eletrônica: 2447-4193

Prefixo DOI: 10.21573