Escolarização aberta com RRI para uma participação significativa das comunidades indígenas na educação em rede

Luziana Quadros da Rosa, Marcio Vieira de Souza, Alexandra Okada

Resumo


Este artigo busca problematizar discussões, por meio do pensamento complexo (MORIN, 2006), referentes à abordagem Responsible Research Innovation (RRI) para uma atuação significativa das comunidades indígenas na educação em rede. Esta pesquisa qualitativa inclui análises bibliográfica e documental, observação e a realização de entrevistas narrativas com professores indígenas, pesquisadores e gestores públicos. Os referenciais teóricos, sobre Pesquisa e Inovação Responsáveis e Educação em Rede, contribuem para a análise de significações dos processos da Educação Escolar Indígena. As narrativas trazem sentido aos desafios, necessidades e prioridades como categorias identificadas nas deliberações propostas na sexta audiência pública realizada para a construção do I Plano de Educação Escolar Indígena (I PNEEI). Por fim, a Escolarização Aberta surge como uma recomendação para a participação significativa, através dos saberes das comunidades, em projetos de Escolarização Aberta Indígena.


Palavras-chave


Pesquisa e inovação responsáveis; RRI; Educação em rede; Escolarização aberta; Educação escolar indígena;

Texto completo:

PDF

Referências


ABBONIZIO, A.; GHANEM, E. Educação escolar indígena e projetos comunitários de futuro. Educação e Pesquisa, v. 42, n. 4, p. 887-901, 2016.

AGUILAR, M. Aprendizaje y Tecnologías de Información y Comunicación: Hacia nuevos escenarios educativos. RLCSNJ, v. 10, n. 2, 2012.

AIRES, L. e-Learning, Educação Online e Educação Aberta: Contributos para uma reflexão teórica. RIED. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, vol. 19, núm. 1, 2016, pp. 253-269.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena. Parecer homologado CNE/CEB nº 13/2012, de maio de 2012, publicado no D.O.U. de 15/6/2012, Seção 1, Pág. 18.

CAMARGO JUNIOR, K. R., MOURA, E. G. A crise no financiamento da pesquisa e pós-graduação no Brasil. Disponível em: cadernos.ensp.fiocruz.br/site/pages/iframe_print.php?aid=83. Acesso em: 20 de junho de 2020.

CASTELLS, M. A sociedade em rede: volume 1. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis, Vozes, v. 295, p. 2010-2013, 2008.

CRESWELL, J. W. Pesquisa qualitativa e desenho da pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens , v. 2, 2010.

EUROPEAN COMMISSION. HORIZON 2020 Work Programme 2014 – 2015: Science with and for Society. European Commission Decision C. 2015.

FISCHER, E. Condições necessárias para a inovação responsável. Journal of Responsible Innovation, 7:2, 145-148, 2020. Disponível em: https://www.tandfonline.com/loi/tjri20. Acesso em: 15 de junho de 2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. - São Paulo : Atlas, 2008.

GOMEZ, M. V. Educação em rede: uma visão emancipadora . Cortez, 2004.

GOMEZ, M. V. Pedagogia da virtualidade: redes, cultura digital e educação. São Paulo: Edições Loyola, 2015.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar da Educação Básica 2018. Notas Estatísticas. Brasília: Inep, 2019.

IPEA. Avaliação de políticas públicas: guia prático de análise ex ante. Casa Civil da Presidência da República, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. – Brasília: Ipea, 2018. v. 1, p. 192.

MEC - Ministério da Educação. MEC promove audiência pública para plano de educação escolar indígena. 20 de maio de 2019. Disponível em: . Acesso em: 7 de set. de 2019.

MORIN, E. Complexidade e ética da solidariedade. In: CASTRO, G. et al. Ensaios de complexidade. Editora Sulina, 1997.

MURA, F. Do desenvolvimento comunitário à mobilização política: o projeto Kaiowa-Ñandeva como experiência antropológica. Mana, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 212-216, 2002.

MUYLAERT, C. J. et al. Entrevistas narrativas: um importante recurso em pesquisa qualitativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 48, n. SPE2, p. 184-189, 2014.

MYNAIO, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petropólis-RJ: Vozes, 1994.

NUNES, L. L. S. et al. Educação em rede: tendências tecnológicas e pedagógicas na sociedade em rede. EmRede - Revista de Educação a Distância, v. 3, n. 2, p. 197-212, 2017.

OKADA, A. Responsible research and innovation in science education report.Milton Keynes: The Open University – UK, 2016.

OKADA, A.; RODRIGUES, E. A educação aberta com ciência aberta e escolarização aberta para pesquisa e inovação responsáveis. In: TEIXEIRA, C.; SOUZA, M. V. Educação Fora da Caixa: tendências internacionais e perspectivas sobre a inovação na educação. (v. 4). São Paulo: Blucher, 2018.

OKADA, A.; SHERBORNE, T. Equipping the Next Generation for Responsible Research and Innovation with Open Educational Resources, Open Courses, Open Communities and Open Schooling: An Impact Case Study in Brazil. Journal of Interactive Media in Education, v. 1, n. 18, p. 1-15, 2018.

OWEN, Richard. Responsible Research and Innovation: options for research and innovation policy in the EU. European Research and Innovation Area Board (ERIAB), Foreword Visions on the European Research Area (VERA), 2014.

OWEN, R.; PANSERA, M. Responsible innovation and responsible research and innovation. In: Handbook on Science and Public Policy. Edward Elgar Publishing, 2019.

PETERS, M. A. The history and emergent paradigm of open education. In: Open education and education for openness. Brill Sense, 2008. p. 1-15.

PIMENTEL, S. O índio que mora na nossa cabeça: sobre as dificuldades para entender os povos indígenas. São Paulo: Prumo, 2012.

RRI-TOOLS. What is RRI?. Disponível em: https://www.rri-tools.eu/pt/homepage. Acesso em: 19 de outubro de 2019.

ROSA, L. Q. et al. Polo EaD como mídia do conhecimento na indústria 4.0. (2018). In: Congresso Internacional da ABED de Educação a Distância, Anais da ABED. Florianópolis - SC. 2018.

SENADO FEDERAL. Senado Notícias. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/06/22/senadores-manifestam-solidariedade-pelos-mais-de-50-mil-mortos-por-covid-19. Acesso em: 22 de junho de 2020.

SHIRKY, Clay. Here comes everybody: The power of organizing without organizations. Penguin, 2008.

SOUZA, M. V. Mídias Digitais, Globalização, Redes e Cidadania no Brasil (2015). In: SOUZA, M. V.; Giglio, K. (Eds.). Mídias Digitais, Redes Sociais e Educação em Rede: Experiências na Pesquisa e Extensão Universitária. São Paulo: Blucher, 2015.

VON SCHOMBERG, Rene. A vision of responsible research and innovation. Responsible innovation: Managing the responsible emergence of science and innovation in society, p. 51-74, 2013.




DOI: https://doi.org/10.21573/vol36n32020.104896

INDEXADORES

BBE – Bibliografia Brasileira de Educação (Brasília, MEC/INEP)
CLASE – Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM)
DIADORIM - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras
DOAJ - Directory of Open Access Journals
DRJI - Directory of Research Journals Indexing (Maharashtra, India)
Edubase (SBU/UNICAMP)
LATINDEX - Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
Portal de Periódicos da Capes/MEC
Scielo Educ@ - Fundação Carlos Chagas-FCC, São Paulo/Brasil
Science Library Index - Meadow Springs, Mandurah State, Austrália
SUMÁRIOS.ORG - Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Política e Administração da Educação,
da Associação Brasileira de Política e Administração da Educação
está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/index

ISSN versão impressa: 1678-166X
ISSN versão eletrônica: 2447-4193

Prefixo DOI: 10.21573