Fundamentos e processos da formação continuada na rede municipal de Goiânia

Sarah Rizzia Campos Luiz, Lúcia Maria Assis

Resumo


Este artigo é resultado de uma pesquisa realizada no ano de 2019 e teve como objetivo apresentar os fundamentos teóricos e metodológicos da formação continuada dos professores na Gerência de Formação dos Profissionais da SME (GERFOR). A pesquisa teve como metodologia o levantamento bibliográfico e documental, fundamentada em Janela (2000), Saviani (2008), Dias Sobrinho (2003), Luckesi (2010), Libâneo (2015), Guimarães (2004), entre outros. Concluiu-se que tendo em vista que as políticas para formação continuada abrangem cursos de curta ou longa duração, que objetivam promover a atualização, desenvolvimento e aprofundamento profissional constante dos profissionais docente, que busquem atender as necessidades recorrentes da prática educacional, bem como acompanhar o desenvolvimento da legislação educacional e promover a atualização permanente dos conhecimentos e saberes da docência, a GERFOR tem atuado nesse sentido, de modo a subsidiar as melhorias das práticas dentro do ambiente escolar.


Palavras-chave


Formação de professores e políticas públicas; Formação de professores e avaliações externas; Formação de professores e avaliação.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Textos escolhidos. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

ALFERES, M. A.; MAINARDES, J. A. FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NO BRASIL. In: Seminário de Pesquisa do PPE. Universidade Estadual de Maringá: 2011. Disponível em: http://www.ppe.uem.br/publicacoes/seminario_ppe_2011/pdf/1/001.pdf. Acesso em: abril de 2018.

ALONSO, M. O trabalho docente: teoria & prática. São Paulo: Pioneira, 1999.

ANDALÓ, C. S. de A. Fala, professora!: repensando o aperfeiçoamento docente. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

ASSIS, L. M.; LIMA, D. C. B. P. Editorial. Atordoado eu permaneço atento. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 34, n. 02, p. 329-345, mai./ago., 2018.

ASSIS, L. M. de; AMARAL, N. C. Avaliação da Educação: Por um sistema nacional. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 7, n. 12, p. 27-48, jan./jun. 2013. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/viewFile/258/436. Acesso em: jan. 2019.

ASSIS, L. M. de. As condições de trabalho de professores da educação básica em Goiás. In: OLIVEIRA, D. A., VIEIRA, L. F. Trabalho docente na educação básica em Goiás. Belo Horizonte, MG: Fino Traço, 2012. p. 115-132.

ASSIS-PETERSON, A. A.; SILVA, E. M. N. “Não tenho estoques de sonhos para me manter em pé”: construção de identidades de uma professora de inglês. In: BARROS, S. M.; ASSIS-PETERSON, A. A. (Org.). Formação crítica de professores de línguas: desejos e possibilidades. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2010. p. 145-174.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2011.

BRASIL. Ministério da educação conselho nacional de educação conselho pleno. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. In: Diário Oficial da União, Brasília, 2 de julho de 2015 – Seção 1 – pp. 8-12. Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/res_cne_cp_02_03072015.pdf. Acesso em: junho de 2016.

BRASIL. Lei 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Brasília, DF: 1971. Disponível em: Acesso em 10 maio de 2017.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 5ª Edição, [1996] 2010. Biblioteca Digital da Câmera dos Deputados. Disponível em: http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/2762/ldb_5ed.pdf. Acesso em: outubro de 2011.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação. Brasília: 1998.

BRASIL. Portaria Normativa n. 14, de 21 de maio de 2010. Institui o Exame Nacional de Ingresso na Carreira Docente. Diário Oficial da União, seção 1, n.24, f. 11, 24 maio 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12907:legislacoes&catid=70:legislacoes. Acesso em: junho de 2016.

BRASIL. Parecer CNE/CP 9/2001. Homologado em 17/01/2002. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf. Acesso em: junho de 2016.

BRASIL, Ministério da Educação. Projeto de Lei do Plano Nacional de Educação (PNE 2011-2020): projeto em tramitação no Congresso Nacional – PL nº 8.035/2010. Brasília, DF: Edições Câmera, 2011.

BRASIL. Lei da Reforma do Ensino de 1º e 2º graus. Lei nº. 5.692/71, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. In Política e Educação no Brasil. 5. ed. Campinas: Autores Associados, 2002.

BRASIL, Ministério da Educação/SEB. Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica – Orientações Gerais, Brasília, 2005.

CHIMENTÃO, L. K. O significado da formação continuada docente. 4° CONPEF –Congresso Norte Paranaense de Educação Física Escolar, 2009. Disponível em: http://www.uel.br/eventos/conpef/conpef4/trabalhos/comunicacaooralartigo/artigocomoral2.pdf. Acesso em: abril de 2016.

COÊLHO, I. M; GUIMARÃES, G. Educação, escola e formação. Goiânia, 2012. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/xmlui/handle/ri/487. Acesso em: janeiro de 2017.

DIAS SOBRINHO, J. Campo e caminhos da avaliação: a avaliação da educação superior no Brasil. In: FREITAS, L. C. (org.). Avaliação. Construindo o campo e a crítica. Florianópolis: Insular, 2013. v. 1. p. 13-62.

DONATO V. Logística Verde: Uma abordagem sócio-ambiental, Rio de Janeiro, Editora Ciência Moderna, 2008.

FERREIRA, N. S. C. A gestão enquanto instrumento para a construção e qualificação da educação. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/gestao.pdf. Acesso em: 07 jul. de 2008.

FERREIRA, N. S. C. Gestão democrática da educação: ressignificando conceitos e possibilidades. In: FERREIRA, Naura Syria Carapeto; AGUIAR, Márcia Ângela da S. (Org.). Gestão da Educação – Impasses, perspectivas e compromissos. São Paulo: Cortez, p. 295-316, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

FREITAS, D. N. T. de. Avaliação da Educação Básica no Brasil: características e pressupostos. In: BAUER, A.; GATTI, B. A.; TAVARES, M. R. (orgs.) Ciclo de Debates: vinte e cinco anos de avaliação de sistemas educacionais no Brasil, origens e pressupostos. Florianópolis: Editora Insular, 2013, p.70-96.

FRIGOTTO, Gaudêncio. O enfoque da dialética materialista histórica na pesquisa educacional. São Paulo: Cortez, 2008.

GATTI, B. A. Análise das politicas públicas para a formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação. Campinas: Autores Associados. v.13, n.37, p. 57-70, 2008.

GATTI, B. A. Formação continuada de professores: a questão psicossocial. Cadernos de Pesquisa. [online] 2003 n. 119. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742003000200010&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: julho de 2016.

GATTI, B. A. Possibilidades e Fundamentos de avaliações em larga escala: primórdios e perspectivas contemporâneas. In: BAUER, Adriana; GATTI, Bernadete A.; TAVARES, Marialva R. (Orgs.). Ciclo de debates: vinte e cinco anos de avaliação de sistemas educacionais no Brasil, origens e pressupostos. Florianópolis: Editora Insular, 2013, p.47-69.

GOIÂNIA. Secretaria Municipal de Educação e Esportes. Gerência de Formação dos Profissionais da Educação. Política de Formação Continuada em Rede: Proposta políticopedagógica para formação continuada dos profissionais da Secretaria Municipal de Educação e Esportes de Goiânia. Out.2013.

GUIMARÃES, V. S. A socialização profissional e profissionalização docente: um estudo baseado no professor recém-ingresso na profissão. In.: GUIMARÃES, V. S. (Org.). Formar para o mercado ou para a autonomia? O papel da Universidade. Campinas: Papirus, 2006.

GUIMARÃES. V. S. Formação de professores: Saberes, identidades e profissão. Campinas, SP: Papirus, 2004.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2001.

JANELA, A. A. Avaliação Educacional: regulação e emancipação. São Paulo: Cortez, 2000, p.13-51.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. ed. Goiânia: MF Livros, 2008.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar. 21 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

NÓVOA, A..A formação contínua de professores: realidades e perspectivas. Aveiro: Universidade de Aveiro, 1991.

PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

RIBAS, M. H. Construindo a competência: processo de formação de professores. São Paulo: Olho d’Água, 2000.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10 ed. Campinas: Autores Associados, 2008.

SILVA, C. S. R. da; FRADE, I. C. A. da. Formação de professores em serviço. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v. 3, n. 13, 1997.

SOARES, K. C. D. Trabalho docente e conhecimento. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências da Educação Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso. Rio de Janeiro: LeYa, 2017.

VEIGA, I P.A. Escola: Espaço do Projeto Político-Pedagógico. 7. ed. Campinas, SP: Papirus.1998.




DOI: https://doi.org/10.21573/vol36n22020.100512

INDEXADORES

BBE – Bibliografia Brasileira de Educação (Brasília, MEC/INEP)
CLASE – Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México, UNAM)
DIADORIM - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras
DOAJ - Directory of Open Access Journals
DRJI - Directory of Research Journals Indexing (Maharashtra, India)
Edubase (SBU/UNICAMP)
LATINDEX - Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
Portal de Periódicos da Capes/MEC
Scielo Educ@ - Fundação Carlos Chagas-FCC, São Paulo/Brasil
Science Library Index - Meadow Springs, Mandurah State, Austrália
SUMÁRIOS.ORG - Sumários de Revistas Brasileiras

 

Licença Creative Commons
Revista Brasileira de Política e Administração da Educação,
da Associação Brasileira de Política e Administração da Educação
está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://seer.ufrgs.br/index.php/rbpae/index

ISSN versão impressa: 1678-166X
ISSN versão eletrônica: 2447-4193

Prefixo DOI: 10.21573