MIGRAÇÃO E IDENTIDADE NA REGIÃO SUDOESTE DE CAMARÕES: O FATOR GRAFFIE, C.1930S – 1996

Walter Gam Nkwi

Resumo


O presente artigo foca nas dinâmicas de migração interna, tomando o caso dos migrantes naturais das Planícies Bamenda no litoral de Camarões, e destaca como tais migrações deram origem ao enigma identitário entre aqueles que vieram a ser chamados graffie e os locais. Questiona como a politização da identidade pode ser compreendida dentro das dinâmicas históricas e políticas de Camarões. O artigo também defende que, no início da colonização britânica, muitos habitantes da região migraram para o complexo industrial do litoral de Camarões como mão de obra para as plantations, além de como auxiliares em outros serviços coloniais. Depois de trabalhar nestes serviços eles se aposentaram e tornaram-se empreendedores, para desgosto dos locais. Eles foram, assim, pejorativamente denominados graffie. Usando o conceito de identidade em migração o artigo questiona por que e como os graffie lidaram com sua identidade em espaços heterogêneos, como a região sudoeste de Camarões.

Palavras-chave


Migração; Identidade; graffie; Camarões

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2448-3923.71837

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Estudos Africanos (RBEA)

e-ISSN 2448-3923; ISSN 2448-3907

Publicação do CEBRAFRICA/UFRGS