PRÁTICAS SOCIAIS E POLÍTICAS DAS ONGS EM ANGOLA. METODOLOGIAS E RELAÇÕES DE PODER. O CASO DA ADRA E DA VISÃO MUNDIAL

Joaquim Assis

Resumo


O artigo que se inicia tem como principal objetivo analisar as práticas sociais e políticas das Organizações Não-Governamentais (ONGs) que atuam em Angola. Partindo da contribuição de diferentes autores e tendo como perspectiva teórica a análise processualista, busca-se responder quatro questionamentos acerca destas práticas, a saber: quais são as práticas políticas e sociais das ONGs em Angola? De que maneira ocorrem as relações de poder nos espaços de intervenção? Como são percebidas as questões ligadas à participação popular? E qual tem sido a contribuição das ciências sociais em relação às dinâmicas rurais do país? Feito isso, espera-se concluir que, em maior ou menor grau, os interesses dos mediadores ligados aos processos de desenvolvimento rural, muitas vezes parecem sobrepor-se aos reais desafios do desenvolvimento, e a dominação do “outro” parece estar no cerne de muitos processos de legitimação.


Palavras-chave


Desenvolvimento; Mediação; Legitimidade; Intervenção social

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2448-3923.60338

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Estudos Africanos (RBEA)

e-ISSN 2448-3923; ISSN 2448-3907

Publicação do CEBRAFRICA/UFRGS