SAARA OCIDENTAL: HISTÓRIA, ATUAÇÃO DA ONU E INTERESSES EXTERNOS

José Maria Sydow de Barros

Resumo


O presente artigo tem como objetivo responder a seguinte questão: Quais são as principais razões que permitem que o impasse para a resolução do conflito no Saara Ocidental, que se iniciou na década de 70, perdure até os dias atuais, mesmo com o estabelecimento da MINURSO, em 1991? A hipótese considerada é que o impasse na resolução do conflito no Saara Ocidental perdura até os dias atuais devido a interesses político-econômicos e à ingerência/ interesse de importantes atores geopolíticos mundiais, impedindo que a diplomacia intermediada pela ONU, por meio da MINURSO, alcance o sucesso e a solução desejada. No intuito de buscar a resposta para o problema proposto, por meio de uma pesquisa bibliográfica qualitativa, inicialmente foi realizada uma análise do histórico do conflito até a implementação da MINURSO, seguida pelo detalhamento daquela missão e, por fim, abordou-se os interesses econômicos, estratégicos e geopolíticos dos principais atores mundiais envolvidos na questão saaraui. Na conclusão, constata-se que, desde o princípio do conflito, o envolvimento de importantes atores geopolíticos contribuiu para o início e para a manutenção do impasse ao longo dos anos, motivados, principalmente, por interesses econômicos, estratégicos e geopolíticos.

Palavras-chave


Saara Ocidental, MINURSO, Marrocos, Frente POLISARIO, Interesses Externos.

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2448-3923.103361

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Estudos Africanos (RBEA)

e-ISSN 2448-3923; ISSN 2448-3907

Publicação do CEBRAFRICA/UFRGS