Cultural Action and the Defense of Public Life

Suzana Schmidt Viganó

Resumo


The article proposes a reflection on the consecrated idea of cultural action, which intends to revisit the notion of public life. Cultural action is thus understood in its historical development and it is questioned in its potentiality as an action in times of political and democratic crisis. From the dialogue with Political Philosophy and from the analysis of artistic and pedagogical practices, besides the public intervention of São Paulo artists, we reflect on the perspectives of cultural action in the current historical moment, focusing on it as an expression of the public sphere and political participation, broadening the spheres of sharing the sensitive field and re-singularizing the existential universes.


Palavras-chave


Artes Cênicas; Teatro Filosofia; Educação

Referências


ABIRACHED, Robert (Dir.). La Décentralisation Théâtrale 3: 1968, le tournant. Paris: Actes Sud et ANRAT, 2005.

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

AZZI, Christine Ferreira. Entre a arte e a ação: cultura, museus e patrimônio nos discursos de André Malraux. 2010. Tese (Doutorado em Letras Neolatinas) – Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

BAUMAN, Zigmunt. Ensaios sobre o conceito de cultura. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

CHIARI, Gabriela Serpa; BRAGA, Bya. A performatização da política institucional. Revista Sala Preta, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 206-216, 2019.

COELHO, José Teixeira. O que é ação cultural? São Paulo: Brasiliense, 1985.

DESGRANGES, Flavio; LEPIQUE, Maria. Teatro e vida pública: o fomento e os coletivos teatrais de São Paulo. São Paulo: Hucitec, 2012.

FOUCAULT, Michel. O Sujeito e o Poder. In: DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault, uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. P. 231-249.

GUATTARI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. São Paulo: Editora 34, 2008.

LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

MELO, Thálita Motta. Pistas para uma Cartografia Performativa da ‘Nova Direita’ (2015-2019). Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 9, n. 4, 2019.

PUPO, Maria Lúcia de Souza Barros. Quando a cena se desdobra: as contrapartidas sociais. In: DESGRANGES, Flávio; LEPIQUE, Maria (Org.). Teatro e vida pública: o fomento e os coletivos teatrais de São Paulo. São Paulo: Hucitec, 2012. P. 152-173.

RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do Sensível. São Paulo: Editora 34, 2009.

RANCIÈRE, Jacques. O Ódio à Democracia. São Paulo: Boitempo, 2014.

RANCIÈRE, Jacques. O Desentendimento. São Paulo: Editora 34, 2018.

STRANGER, Inês. Estrategias elusivas en el teatro de la transición política. Revista Cena, Porto Alegre, n. 26, p. 23-31, 2018.

URFALINO, Phillipe. A Invenção da Política Cultural. São Paulo: Edições SESC, 2015.

VIGANÓ, Suzana Schmidt. Por entre as trilhas chuvosas de uma travessia: teatro, ação cultural e formação artística na cidade de São Paulo. 2017. Tese (Doutorado em Artes Cênicas) – Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

VIGANÓ, Suzana Schmidt. Poemas de água: teatro, formação artística e ação cultural. Curitiba: Appris, 2019b.

ZARVOS, Clarisse Fraga. Praças em Cena: algumas ações estéticopolíticas do início da década de 2010. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 9, n. 4, 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS DA PRESENÇA - Brazilian Journal on Presence Studies - e-ISSN 2237-2660 - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil - http://www.seer.ufrgs.br/presenca

 

       

 

 

Crossref Similarity Check logo

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.